15.09.2018  /  9:00

Romulo Neto: “Cleo não está na minha playlist principal, mas dei força”

Romulo Arantes Neto || Créditos: Reprodução/ Instagram

Romulo Arantes Neto encara mais um desafio profissional: em “Espelho da Vida”, próxima trama das seis da Globo, ele é Mauro César, galã de novelas com uma legião de fãs que topa fazer um filme em uma cidade do interior. “Ele é hedonista e imediatista. Existe uma relação superinteressante de pega pra capar tipo Raí e Babalu [personagens que marcaram época de Marcelo Novaes e Letícia Spiller na novela ‘Quatro por Quatro’] com a Kéfera [youtuber com milhões de seguidores que estreia na TV no papel de Mariane, atriz também bastante famosa e muito ativa nas redes sociais]. Um relacionamento de dois egos ‘muuuuuuito’ grandes… Duas estrelas nacionais, atores bem conhecidos, e naturalmente surge essa empatia entre eles por serem seres do mesmo universo. Eles vão trabalhar juntos e aí começa a existir essa trama de paixão e vai ser bem engraçado isso porque eles querem fingir um relacionamento para o filme que eles estão fazendo bombar, pra gerar notinhas…”, nos contou Romulo.

“Poderia ter acontecido comigo”

Será que ele já viu essa estratégia na vida real? “A gente ouve coisas. Sei que isso existe de verdade, mas não é a minha praia”. E o que o personagem tem que conquistou o ator? “Ele é tudo que eu poderia ter sido. Somos seres humanos e estamos suscetíveis a errar, e a errar de novo. Poderia ter acontecido comigo [a fama subir à cabeça], mas graças a Deus acho que não aconteceu. Tenho uma base familiar boa. Meu pai trabalhava nesse meio, meu padrasto também, minha mãe também, então… Isso facilitou eu ter mais consciência e acreditar que de fato isso tudo é uma ilusão, que essa é uma profissão como qualquer outra, apesar de ter muita visibilidade. É importante não cair nesse lugar perigoso dessa glamurização”.

“Recomendo terapia para jovens atores. Eu fiz”

Mas é uma armadilha fácil, né? Todo mundo dizendo que você é o máximo… “Sim, muito perigosa. Por isso você tem que ter bons amigos, uma família presente e buscar recursos para enriquecer sua identidade e não cair nessas artimanhas que a mídia e o próprio mercado geram. Recomendo, inclusive, terapia para jovens atores. Eu fiz. Foi muito importante pra mim. E é. Dei uma pausa agora, mas continuo fazendo. A profissão é um dos assuntos que a gente trata”.

“‘Adoooooooro’ os prazeres da vida. É uma coisa horrível”

E o que Romulo tem de parecido com Mauro Cesar? “Sou bastante imediatista e aventureiro. Nesse quesito sou muito parecido com o personage. Muito! Esse lado hedonista… ‘Adoooooooro’ os prazeres da vida. É uma coisa horrível. Tenho que ficar me freando o tempo todo. ‘Não, hoje não é dia de viajar, amanhã você tem trabalho’ ou ‘não é hora de andar de moto correndo, segura a onda, está trânsito'”. E consegue se controlar? “Na medida do possível, né? Sou um ser humano. E realmente imediatista. Quero fazer tudo ao mesmo tempo. Sou ansioso e tenho muita energia. O que me acalma é yoga, uma solução enorme na minha vida. Se pratico, sou quase um Buda. Se não pratico, fico quicando dentro de casa, no trabalho, em qualquer lugar. E acabo ficando mais refém do meu lado hedonista”.

“Tenho um objetivo de vida que é de repente dar a volta ao mundo de barco”

Que aventura você quer fazer de qualquer jeito antes de morrer? “Tenho um objetivo de vida que é cruzar o oceano ou de repente dar a volta ao mundo de barco. Ou sozinho ou com uma companheira. Já fiz aula de vela, começando na categoria Laser, já fiz dois cursos. É um sonho meu…” Em relação à temática espírita da novela, você se identifica? “A minha mãe frequentou centro espírita desde pequena, me levou e depois eu tomei gosto, vou sozinho, inclusive vou amanhã em um que adoro. Encontro bastante paz e recursos positivos para minha existência aqui. Não é minha religião, é um dos meus alicerces espirituais. Mas ando por outros caminhos também, como Budismo e Cabala”.

“Gosto de grude, mas poderia ser mais romântico”

Como é para uma pessoa imediatista e aventureira viver um relacionamento sério? “Encaro como uma aventura também. Um novo desafio. Sou aquele cara intenso, gosto de grude, de estar junto, fazer tudo junto. Invento quatrocentas viagens o tempo todo. Não gosto de cair no marasmo, odeio rotina. Fico apaixonado, sim. Sou romântico, mas poderia ser mais. Meu romantismo está na aventura, de ser esse cara que proporciona coisas novas e inusitadas o tempo todo. Inventar uma moda de sair pra dançar numa segunda-feira… Proporciono experiências. Colocar uma música em casa mesmo e vamos tomar um vinho? Como não gosto de rotina, meu relacionamento acaba não caindo numa rotina”.

Tá rolando com Pamela Tomé?

Sobre os rumores de affair com Pamela Tomé: “Meu coração está bem, mas não quero rotular nada ainda. Existe algo acontecendo, mas ainda é muito cedo [pra dizer que é namoro]”.

“Estou com uma aura limpa, aí me sinto bonito”

Romulo vai fazer papel de galã. Se acha bonito? “Tem dias na minha vida que vejo beleza em mim. Normalmente nesses dias estou com uma aura limpa, fazendo o que amo… Aí me sinto bonito”. Ser enquadrado nesse estereotipo do galã incomoda? “Não vejo isso como uma coisa negativa e nem me pressiono por isso. Mas isso, sim, me motiva a mostrar um bom trabalho porque não quero ser rotulado como um bom galã, e sim como um bom ator. Isso pra mim é uma motivação”.

“A Vera era brother do meu pai”

Como tem sido o clima nos bastidores da novela? Ele responde: “Meu pai fez muitos amigos quando era vivo. O Pedro Vasconcellos [diretor da trama] era um pupilo dele. Os dois fizeram uma novela juntos, o Pedro bem garoto, e meu pai o acolheu. A Vera [Fischer, que também está no elenco] era brother do meu pai. Tudo isso só faz com que eu me sinta mais em casa. Quando existe uma história por trás, dá mais intimidade e te deixa livre, com menos amarras, menos possibilidades de defesa… Você fica mais à vontade e o desempenho melhora. A Vera é show de bola, muito maneira, da mesma galera. A gente fala a mesma língua. Zero reverência porque ela tem esse espírito jovem. A gente troca de igual pra igual, mesmo quando a pessoa tem muito mais respaldo profissional. Somos todos seres humanos, estou acostumado. Mas é importante o mais velho estar assim, aberto para o mais novo”.

“Cleo não está na minha playlist principal, mas está numa delas”

Perguntamos o que ele está achando da carreira musical da ex-namorada Cleo Pires. “Ela sempre falou que tinha esse sonho de cantar e eu sempre achei o máximo. Fico muito feliz mesmo por ela estar explorando esse universo novo, que ela idealizava, sempre idealizou. Fico feliz com a felicidade dela… De verdade! Baixei as músicas e achei superinteressante. Não está na minha playlist principal, mas está numa delas, sim. Fiz questão de dar força e um feedback pra ela. Acho muito legal a pessoa correr atrás do que quer, dos seus objetivos. A vida é uma só. Independente de ter aprovação ou reprovação, tem que ir atrás. Mesmo que não faça o mesmo sucesso que faz como atriz, o que importa é estar feliz”.

“Faz parte da minha história. Por enquanto, deixa quieto”

Romulo não cobriu a tatuagem que fez em homenagem a ela em quatro dedos da mão, uma letra em cada um formando a palavra “idem”… “Faz parte da minha história. Por enquanto, deixa quieto. Não tenho raiva nem nada”. Mas Cleo cobriu a dela [a mesma tatuagem]… “Deve ter tido os motivos dela, respeitei…” (por Michelle Licory)