03.07.2020  /  11:51

Rindo à toa: fortuna de Jeff Bezos bate novo recorde em plena pandemia e chega a R$ 918,6 bilhões

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo || Créditos: Reprodução

A semana termina com mais um recorde quebrado por Jeff Bezos. Graças à excelente performance da Amazon nos últimos meses – a gigante do e-commerce está em alta na bolsa por causa do grande número de pessoas que estão em casa se protegendo do novo coronavírus e, de quebra, fazendo compras pela internet – a fortuna dele, que é o fundador e maior acionista da empresa, acaba de atingir US$ 172 bilhões (R$ 918,6 bilhões) segundo a agência de notícias econômicas Bloomberg, uma cifra nunca antes havia sido atribuída a alguém na história dos rankings modernos de bilionários.

O número um entre os mais ricos do mundo viu sua participação na empresa crescer quase 50% desde o começo da pandemia, em março, efeito que também tornou a ex-mulher dele, MacKenzie Bezos, bem mais rica de lá pra cá: a escritora agora tem estimados US$ 57 bilhões (R$ 304,4 bilhões) na conta. Ambos possuem, respectivamente, 12% e 4% da Amazon, o que os torna seus dois maiores acionistas individuais.

Criticada recentemente por demitir funcionários de armazéns que mantém nos Estados Unidos em plena luta contra a Covid-19 e apesar da bonança vivida por seu chefão, a maior varejista online do planeta tentou reverter a situação com um anúncio recente de que distribuiria US$ 500 milhões (R$ 2,67 bilhões) aos mais de 840 mil funcionários que tem em vários países, dinheiro que a essa altura já deve estar no bolso da maioria deles. (Por Anderson Antunes)