07.05.2018  /  11:05

Rihanna e arcebispo de Nova York juntos no Baile do Met que rola nesta segunda… E isso é só o começo. Promete!

O arcebispo Timothy Dolan e Rihanna || Créditos: Getty Images

O Baile do Met que acontece logo mais no Metropolitan Museum em Nova York terá aquela que promete ser a mais eclética lista de convidados de seus 70 anos de história. Como neste ano o tema envolve uma das instituições mais tradicionais do mundo, a Igreja Católica – “Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination” (“Corpos Celestiais: A Moda e o Imaginário Católico”) -, será uma chance rara do público ver personalidades das mais variadas áreas juntas no melhor clima fashionista.

Uma das aparições mais esperadas é a do cardeal Timothy Dolan, arcebispo da Arquidiocese de Nova York, cuja assessoria confirmou no domingo que ele estará ao lado de Donatella Versace, Rihanna e Amal Clooney, co-hosts do evento anual que acontece desde 1948, recebendo as celebridades que já foram devidamente instruídas a se vestirem buscando inspiração no tom religioso, embora sempre existam aquelas que gostam de fugir um pouco do dress code para causar…

No caso de Dolan, ele deverá optar pelo traje de gala que geralmente veste em ocasiões especiais e que não difere muito do uniforme diário dele: batina preta, faixa vermelha na cintura, barrete (um tipo de solidéu) ou chapéu cardinalício e cruz peitoral. Nada que roube a cena do item que deverá atrair mais olhares na exposição que o Metropolitan Museum abre na próxima quinta-feira e que terá prévia para poucos e bons nesta noite: uma tiara papal com 18 mil diamantes.

A peça raríssima foi emprestada aos organizadores da mostra depois de muita conversa entre os americanos, liderados pela editrix Anna Wintour, e o Vaticano – que lhe custou várias idas a Roma e reuniões com cúria -, e foi transportada de lá até NY em voo fretado, com seus próprios seguranças. Outras peças valiosíssimas da coleção dos museus do Vatiano também estarão na exposição, devidamente separadas de roupas e acessórios considerados mais “mundanos”, condição imposta pelos grandões da cidade-estado.

Os convites individuais do gala custam a partir de US$ 30 mil (R$ 106,2 mil), com mesas que não saem por menos de US$ 75 mil (R$ 265,5 mil) e podem chegar a astronômicos US$ 250 mil (R$ 885 mil). Assim como em edições passadas, todo o dinheiro arrecadado será doado para o Costume Center, a ala do Met dedicada ao “mundinho fashion”, uma das mais concorridas do museu novaiorquino.

Em tempo: o burburinho do tapete vermelho do baile do Met será transmitido ao vivo pelo canal E! a partir das 19h30. (Por Anderson Antunes)