29.04.2020  /  9:30

Repórter que se infiltrou no Palácio de Buckingham em 2003 relembra ‘encontro tenso’ com o príncipe Andrew

O príncipe Andrew || Créditos: Reprodução

Dizem que a humanidade se divide em dois grupos: um formado por pessoas que já acordam com toda a alegria do mundo, e outro por aquelas que não curtem papear logo cedo. O príncipe Andrew, terceiro filho da rainha Elizabeth II, certamente pertence ao segundo grupo. Pelo menos é o que afirma o repórter Ryan Parry, que em 2003 ganhou as manchetes ao se “infiltrar” no Palácio de Buckingham como se fosse mais um servo da realeza, e tudo para escrever uma matéria cheia de detalhes sobre a intimidade dos “royals” para o tabloide “Daily Mirror”.

Em uma entrevista que deu para um canal do Reino Unido nessa semana, Parry relembrou alguns dos melhores momentos de sua experiência, pela qual ganhou até um prêmio de “Fofoca do Ano”, e um dos mais memoráveis envolve justamente o duque de York, hoje em dia cheio de motivos para não dormir direito por causa de seu envolvimento no escândalo Jeffrey Epstein. “Uma vez me mandaram servir o café da manhã no quarto do príncipe Andrew, e assim que desejei a ele ‘bom dia’ ouvi um ‘vá se danar’ de volta”, contou o repórter, que depois descreveu o ocorrido como “um encontro tenso”.

Ainda de acordo com Parry, o pai das princesas Beatrice e Eugenie sempre teve fama de “esquentado” e “esnobe” entre os funcionários que servem à família real britânica, e certa vez quase atropelou um com seu Aston Martin. Aliás, em uma ocasião o “infiltrado” também serviu o café da manhã para Elizabeth II, que o cumprimentou educadamente e, segundo Parry, começa o dia tão de bem com a vida que até serve torradas para seus corgis antes de fazer o desjejum. (Por Anderson Antunes)