01.01.2017  /  8:00

Referências dos anos 1980 vão dominar a moda em 2017

anos-80
Da esquerda à direita: look do desfile da coleção resort 2017 de Marc Jacobs, personagens de “Stranger Things”, vinil do New Order, Michael Jackson em “Thriller” e modelo na campanha da À La Garçonne. Ao fundo, logo antigo da MTV || Créditos: Divulgação/Reprodução

No que depender da moda, 2017 será tomado por referências dos anos 1980. A previsão foi feita por relatório publicado pela empresa de análise de varejo internacional “Edited”, que aposta com tudo no retorno da década de “Thriller”, marcada pelas roupas de ginástica combinadas a roupas excêntricas e exageradas, com cores cítricas, estampas de animais e pela MTV. Referências da década já surgiram no desfile de resort 2017 de Marc Jacobs apresentado em junho de 2016 e no da brasileira À La Garçonne.

“Os anos 1980 vão chegar com tudo – desde ternos poderosos e calças baggy para escritório até ombros à mostra, roupas esportivas e babados”, diz o relatório, baseado na pesquisa em mais de 520 milhões de produtos de vestuário, acessórios e calçados pelo mundo, assim como com varejistas como Asos, Net-a-Porter e Topshop. “Microtendências também vão se tornar grandes: bordado e jeans com aplicação que parecem customizados, camisetas de banda, babados e calças montaria”, completou o relatório. A tendência deve valer também para o showbiz, já que a segunda temporada de “Stranger Things”, que se passa no ano 1984, é esperada para ser  lançada em julho de 2017.

Ainda segundo o Edited, os artigos que definirão o próximo ano são: calças desconstruídas, streetwear,
corsets, calças flares com barras curtas, ombros marcados para mulheres e bordados e bottons para homens.

Ecos de 2016 

nota-foto-insta
Campanha Marc Jacobs da coleção resort 2017 || Créditos: Divulgação

Segundo dados divulgados pelo Google em agosto deste ano, a bomber jacket foi o artigo de moda mais procurado no ano de 2016. “Nos últimos 12 meses, mais de 61 mil modelos de bombers jackets para homens, mulheres e crianças foram lançadas apenas nos Estados Unidos e Reino Unido”, diz um post do blog da Edited, empresa de análise de varejo internacional. Ainda segundo a matéria, o preço médio do modelo para mulheres em 2016 caiu cerca de US$ 25 com relação ao ano de 2015, enquanto os modelos masculinos tiveram seus preços estabilizados. A publicação observou que este é “um sinal certo de que a tendência das mulheres está mais à frente em sua evolução como uma tendência do mercado de massa”.