23.01.2020  /  10:34

Quase 100 mil canadenses assinam petição pedindo que Meghan e Harry não sejam bancados pelo estado

Meghan Markle e Harry || Créditos: Reprodução

Mais de 80 mil pessoas assinaram uma petição online organizada pela ONG conservadora Canadian Taxpayers Federation – e enviada ao primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, na última terça-feira – demandando que os custos pela segurança de Meghan Markle e do príncipe Harry não sejam bancados pelo governo de lá. Como todos sabem, o casal decidiu fixar residência no país da América do Norte depois do #Megxit, já que sempre contou com a simpatia dos canadenses.

Mas esse clima amistoso mudou desde a despedida da ex-atriz e do ex-royal da realeza, o que acabou custando aos dois os valores pagos pelos contribuintes do Reino Unido para que eles os representassem formalmente, em casa e no exterior. Ninguém sabe ao certo quanto a proteção de Meghan, Harry e do filho deles, Archie, custaria aos conterrâneos de Trudeau, mas uma estimativa feita pelo jornal canadense “Globe and Mail” aponta para algo em torno de US$ 10 milhões (R$ 41,7 milhões) anuais.

Harry, que vai continuar sendo príncipe mas não poderá mais ser chamado de “Sua Alteza Real”, que é o que lhe garantia os privilégios que tinha desde o berço, tem uma fortuna pessoal estimada em US$ 25 milhões (R$ 104,2 milhões), a maior parte em bens e investimentos que herdou da mãe, a princesa Diana. Já o príncipe Charles, pai dele, tem estimados US$ 100 milhões (R$ 416,9 milhões), e garantiu nessa semana que vai ajudar o filho com uma mesada pelo menos até as coisas se acalmarem pro lado do caçula. (Por Anderson Antunes)