02.06.2012  /  11:00

Protagonistas de “Priscilla, Rainha do Deserto”, contam a trajetória antes do musical

Desde que estreou em março na capital paulista, o espetáculo “Priscilla, Rainha do Deserto”, só recebe críticas positivas. E o mérito de todo esse sucesso também deve ser atribuído a Luciano Andrey, André Torquato e Ruben Gabira, os protagonistas do musical. Glamurama bateu um papo com os três, que contaram as curiosidades e a trajetória da carreira antes do peça.

Ruben, aos 52 anos, vive Bernadette e ficou apaixonado pelo personagem logo quando assistiu ao longa da peça em 1994. “Ainda vou fazer esse papel”, foi o que ele pensou logo que saiu do cinema. Dito e feito! Depois de 27 anos de carreira, ele começou a carreira na peça “A Chorus Line”, em 1985, Ruben foi convidado por Tânia Nardini, diretora do musical, para participar dos testes.

Já a drag Felícia, é interpretada por André Torquato, que, aos 18 anos, é considerado um dos melhores atores jovens do Brasil. Ele estudou canto desde os sete anos de idade e aos 15 fez um teste para “A Noviça Rebelde”, com direção de Charles Möeller e Cláudio Botelho. Resultado? Aprovado! Foi com essa “bagagem”que o ator desembarcou na capital paulista e, depois de conquistar papéis nos espetáculos “Gypsy” e “As Bruxas de Eastwick”, agora é a vez de ele brilhar em “Priscilla”.

Por fim, Luciano Audrey, de 32 anos, que dá vida à Mitzi, uma drag queen que já foi casada e fugiu quando soube que a mulher estava grávida, por vergonha de se assumir como drag para o filho. E foi nessa cena, na última etapa das audições, que Luciano conquistou o diretor australiano de uma vez por todas. “Quando terminei o teste, vi que o diretor estava com os olhos cheios de lágrimas”, contou. E olha que engraçado, com 16 anos ele viajava o Brasil com o seu grupo de teatro em um ônibus apelidado de “Priscilla”. Coincidência, não é? Luciano, contou  também que chegou em São Paulo há 10 anos, fez artes dramáticas na USP, e, depois de formado, participou de espetáculos como “My Fair Lady”, “Alice no País das Maravilhas”, com Luana Piovani e “A Ópera do Malandro”, de Chico Buarque, onde, detalhe, interpretou Geni.

Os testes não foram fáceis, já que os personagens são inusitados para os três atores. As audições começaram em maio de 2011, quando estudaram uma música livre e outra escolhida pelo musical. Na mesma semana, outras quatro músicas e quatro cenas foram apresentadas. Por último, em agosto, todos se fantasiaram de drag queen para uma apresentação de dança, com direito à maquiagem e peruca. Tanto esforço que valeu à pena!