11.01.2018  /  12:44

Processo de divórcio de Harvey Weinstein chega ao fim e vai custar a ele mais de R$ 48 mi

Harvey Weinstein e Georgina Chapman || Créditos: Getty Images

Harvey Weinstein e sua ex-mulher, a estilista Georgina Chapman, finalmente chegaram a um acordo para encerrar o processo de divórcio que ela deu início logo que surgiram as primeiras acusações de assédio e abuso sexual contra o produtor na mídia americana, em outubro do ano passado. Pelo que ficou combinado entre os advogados dos dois, Georgina vai embolsar algo entre US$ 15 milhões (R$ 48,5 milhões) e US$ 20 milhões (R$ 64,6 milhões), sendo a maior parte desse valor proveniente da venda dos imóveis que eles compraram nos anos em que ficaram juntos, e que inclui uma townhouse de US$ 15 milhões no West Village e uma casa de praia nos Hamptons avaliada em US$ 12 milhões (R$ 38,8 milhões).

Como Glamurama contou em dezembro, o ex-casal assinou um acordo pré-nupcial antes de subir ao altar, em 2007, estabelecendo que a cofundadora da grife Marchesa teria direito a uma pensão vitalícia de US$ 300 mil (R$ 969,3 mil) anuais caso se separasse de Weinstein nos primeiros nove anos do casamento, sendo que o valor saltaria para US$ 400 mil (R$ 1,29 milhão) anuais a partir do décimo ano de união, que os dois teriam completado há cerca de um mês.

O comentário é que Georgina, que já é dona de uma fortuna pessoal estimada em US$ 20 milhões, poderia ter exigido ainda mais, porém achou melhor resolver a situação o quanto antes uma vez que o patrimônio do ex-todo-poderoso de Hollywood – que já chegou a US$ 240 milhões (R$ 775,4 milhões) – está diminuindo rapidamente em razão dos altos gastos com advogados que ele assumiu nos últimos meses, resultantes dos inúmeros processos nos quais é réu acusado de assédio, abuso sexual e até de estupro. (Por Anderson Antunes)