27.04.2016  /  10:31

Pressão sobre Apple Watch aumenta depois de lucro da Apple cair

Apple Watch é a apostar para Apple voltar a crescer  || Créditos: Divulgação
Apple Watch é a apostar para Apple voltar a crescer || Créditos: Divulgação

A Apple apresentou resultados financeiros abaixo do esperado no segundo trimestre fiscal que foi encerrado nessa terça-feira. O faturamento da companhia foi de US$ 50,6 bilhões (R$179 bilhões), com lucro líquido de US$10,5 bilhões (R$37 bilhões). No mesmo período do ano anterior, o faturamento foi de US$ 58 bilhões (R$205 bilhões) com lucro líquido de US$ 13,6 bilhões (R$ 48 bilhões). Com a queda, aumenta a pressão sobre a empresa por novas ofertas de produtos para assim manter o envolvimento com seus consumidores. E o Apple Watch parece ser a tentativa para retomar o crescimento.

Tim Cook, diretor executivo da Apple, disse a analistas em uma teleconferência nessa terça-feira que as vendas unitárias do Apple Watch superaram as do iPhone em seu primeiro ano. Cook também afirmou que o relógio é “parte cada vez mais essencial da vida dos usuários”. Embora a empresa não tenha detalhado os resultados sobre o desempenho do Apple Watch, foi observado que a receita da categoria “outros produtos” cresceu 30% e graças ao Apple Watch.

O relógio foi a grande aposta da Apple depois da morte de Steve Jobs, em 2011. Logo no lançamento, o produto foi criticado por conta da bateria que não chegava a durar um dia e também por sua dependência em relação ao iPhone. Mesmo assim, Tim Cook se gabou ao falar que o Apple Watch é o relógio inteligente mais vendido do mundo. Recentemente, o produto ganhou um novo modelo a partir de US$ 299 (R$ 1.054), além de expandir sua parceria com a Hermès ao apresentar novas cores de pulseiras e possibilitar, pela primeira vez, a compra de pulseiras separadamente.

Cook também observou que a Apple expandiu a distribuição do relógio para 60 países e que os clientes relataram 94% de satisfação com o produto. As informações são do “WWD”.