08.03.2016  /  19:28

Presença de políticos em fundos impede acordo entre governo e oposição

Aécio negociou com José Pimentel pontos do projeto do senador Paulo Bauer (centro) || Reprodução Facebook
Aécio negociou com José Pimentel pontos do projeto do senador Paulo Bauer (centro) || Reprodução Facebook

Será votado na quarta-feira, na Comissão de Constituição de Justiça do Senado, o projeto de lei complementar 388, do senador Paulo Bauer (PSDB-SC), que propõe novas regras para gestão dos fundos públicos de pensão. O relator é o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (PSDB-MG), que negociou pontos pacíficos com o líder do governo no Senado, José Pimentel (PT-CE).  Mas há quatro artigos sobre os quais os dois lados estão irredutíveis. O governo não aceita o veto, proposto pela oposição, para que pessoas que exerceram atividades político-partidárias possam ser indicados para as diretorias-executivas dos fundos. Outro ponto para o qual a União torce o nariz é permitir que órgãos de controle, como tribunais de contas, possam auditar demonstrações contábeis e relatórios de gestão dos fundos públicos. O certo é que o debate promete ser caloroso no plenário do Senado. (Por Malu Delgado)