01.10.2018  /  13:00

Preocupado com sanções dos EUA, dono do Chelsea e bff de Putin decide vender o time

Roman Abramovich || Créditos: Getty Images

Extra! Roman Abramovich, dono do Chelsea, decidiu mesmo vender o time de futebol inglês que tanto ama. E a culpa parece ser de Vladimir Putin, bff dele e presidente da Rússia: preocupado com as sanções cada vez mais frequentes que os governos de vários países e principalmente dos Estados Unidos vêm impondo aos empresários mais alinhados com o Kremlin, o bilionário russo – que em agosto já tinha cogitado vender uma fatia minoritária da equipe – achou melhor se prevenir antes de sofrer algo do tipo.

Sendo assim, Abramovich topa se desfazer do “The Blues” desde que apareça alguém disposto a lhe pagar os US$ 5,5 bilhões (R$ 22,1 bilhões) que ele acredita que o integrante da Premier League inglesa vale. A propósito, uma oferta de US$ 2,3 bilhões (R$ 9,2 bilhões) que fizeram ao ex de Dasha Zhukova há apenas alguns dias o deixou extremamente irritado, por considerá-la “dinheiro de troco”.

Abramovich comprou o Chelsea em 2003 por US$ 233 milhões (R$ 937,6 milhões), e em seguida investiu uma fortuna para transformá-lo em uma das marcas mais poderosas do mundo dos esportes. Precavido, o bilionário também reduziu recentemente sua fatia na holding Crispian Investments, que controla a maior parte de seus investimentos, e alterou a estrutura societária da mineradora Evraz, da qual é o maior acionista e cuja maior parte das receitas vem da América do Norte. (Por Anderson Antunes)