06.09.2016  /  12:26

Por dentro do jantar que reuniu poderosos na pré-abertura da 32ª Bienal de SP

Detalhe da mesa de jantar
Decoração do jantar de captação da Bienal de São Paulo || Créditos: Paulo Freitas

O Pavilhão da Bienal do Ibirapuera recebeu na noite dessa segunda-feira cerca de 500 convidados para o jantar de captação da 32ª Bienal de São Paulo, que começa nesta quarta-feira e segue até o dia 11 de dezembro. Um elevador de carga forrado com folhas secas levava os participantes para o porão das artes, no subsolo do pavilhão, onde aconteceu o evento – que também foi todo forrado de filhas. A cenografia do ambiente, assinada por Felippe Crescenti, tinha mesas de madeira iluminadas por holofotes invisíveis e abajures. Sobre elas, nada de velas ou flores, apenas caminhos de mesa feitos de papel sulfite. Um décor de efeito produzido com pouca diversidade de elementos.

O menu foi assinado a quatro mãos pela Cozinha da Mazzô, da banqueteira Mazzô França Pinto, e pelo Buffet França, e coordenado por Susana Steinbruch. Na entrada, uma mesa com placas de polvilho, patês, pães e queijo ementhal aguçava o paladar dos convidados, seguida de trio gelado de vegetais, atum crocante e pato com purê de castanhas e spätzle – massa alemã. De sobremesa, o famoso bolo de fita de coco da Mazzô com sorvete de baba de moça do França. Tudo ao som ambiente de uma playlist feita para a ocasião pela sonoplasta Tunica. Confira cliques do décor na galeria abaixo.

*Para ver fotos dos convidados, clique aqui.