Brigitte Bardot em St. Tropez

Por dentro da Saint-Tropez de Brigitte Bardot nos 50 anos do Hôtel Byblos

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
0
Brigitte Bardot em St. Tropez || Foto: Divulgação
Brigitte Bardot em St. Tropez || Foto: Divulgação

No ano em que celebra 50 anos, o Hôtel Byblos leva J.P para desvendar as histórias que fizeram dessa ex-vila de pescadores o destino mais badalado do verão europeu

Por Stella Prado* para J.P de maio de 2017

A charmosa Saint-Tropez é um dos locais mais procurados do verão no Hemisfério Norte. Com pouco mais de 5 mil habitantes, chega a receber 11 milhões de turistas durante todo o ano. Mas o que, além do charme peculiar, a tornou tão especial? Sempre frequentada por nomes estrelados como Pablo Picasso, foi uma mulher que deu vida a essa cidadela e a mostrou para o mundo: Brigitte Bardot.

Sabor de diva

Tudo começou em 1955, quando as areias brancas da praia de Pampelonne serviram de cenário para E Deus Criou a Mulher, filme que consagrou Brigitte como sex symbol. Durante as filmagens, o diretor Roger Vadim, marido de Brigitte na época, pediu a uma moradora local, Geneviève de Colmont, que cozinhasse para todo o staff. Brigitte e sua equipe se apaixonaram de tal forma pelo tempero de Geneviève que, mesmo com o fim da produção, ela continuou servindo sua comida caseira aos visitantes. Nascia assim o Le Club 55, hit do destino até hoje. Anos depois, em 1960, o magnata libanês Jean-Prosper Gay-Para queria construir um palácio para Brigitte, por quem estava apaixonado na época. E não mediu esforços para isso. Em 1967, era inaugurado o Hôtel Byblos, “um vilarejo dentro de um vilarejo”, localizado em uma área de 17 mil metros quadrados. Hoje, Byblos pertence à família do empresário francês Sylvain Floirat, nome que transformou o lugar no queridinho de escritores, músicos e celebridades. O hotel tem 91 suítes impecavelmente decoradas, um spa com assinatura Sisley – o primeiro da maison no mundo – e dois restaurantes dignos de “bis”: o Le B, localizado à beira da piscina, e o Rivea, comandado pelo estrelado chef Alain Ducasse. Outro destaque é o Les Caves du Roy, a casa noturna mais famosa de lá.

Hôtel Byblos || Foto: Divulgação
Hôtel Byblos || Foto: Divulgação

Pelas ruas

Além dos hotspots mitificados por Miss Bardot, a cidade é alegre por si só. Vielas estreitas levam a restaurantes, galerias e lojinhas. No alto, o Citadelle, um forte do século 17, traz uma vista incrível de 360 graus da cidade. E o porto tem o pôr do sol mais bonito que já se viu. Não é à toa que ao entardecer, um burburinho de gente bonita se concentra pelos bares para apreciá-lo entre os iates e navios. E foi assim que fizemos no último dia de viagem. Mas antes mesmo do sol cair, a Saint-Tropez de Brigitte já deixava saudade.

Club 55 || Foto: Arquivo Pessoal
Club 55 || Foto: Arquivo Pessoal

Abaixo, confira os cliques do jantar de gala em comemoração aos 50 anos do Hotel Byblos, que rolou no sábado passado. Glamurama, claro, estava lá!

[galeria]4473319[/galeria]

*A jornalista viajou a convite do Hôtel Byblos