18.12.2019  /  9:35

Por alguns minutos dessa terça, o “rei do luxo” Bernard Arnault foi o homem mais rico do mundo

Bernard Arnault || Créditos: Reprodução

Lembra que Glamurama comentou no fim de novembro a escalada de Bernard Arnault na lista dos homens mais ricos do mundo desde o começo de 2019, com chances inclusive de tirar de Jeff Bezos o primeiro lugar no ranking ainda antes do fim do ano? Pois por um momento dessa terça-feira o CEO e maior acionista do conglomerado de marcas de luxo LVMH chegou lá, quando sua fortuna atingiu a cifra de US$ 110,2 bilhões (R$ 448 bilhões) por volta do meio dia, ficando exatos US$ 100 milhões (R$ 406,5 milhões) acima da do fundador e CEO da Amazon. Ambos têm a maior parte de seus patrimônios em ações de sua empresas, que são negociadas, respectivamente, na Bourse de Paris e na bolsa eletrônica NASDAQ, de Nova York.

A dança das cadeiras, no entanto, durou apenas alguns minutos, e no fim do pregão do dia Bezos voltou ao primeiro lugar – com os mesmos US$ 110,1 bilhões (R$ 447,5 bilhões) de patrimônio – seguido por Arnault, que viu o dele cair “um pouquinho”, para US$ 109,3 bilhões (R$ 444,3 bilhões).

No caso do francês, a bonança tem a ver com a disparada dos papéis do LVMH de janeiro pra cá, que se valorizaram mais de 40% durante o período. O bilionário americano, por sua vez, ficou cerca de US$ 38 bilhões (R$ 154,5 bilhões) menos rico nesse ano, já que esse foi o valor que ele precisou pagar para a ex, Mackenzie Bezos, com quem ficou casado durante 25 anos e decidiu em comum acordo se divorciar em abril. (Por Anderson Antunes)