16.12.2019  /  9:31

Polêmica em torno do novo filme de Clint Eastwood resulta em performance tímida da produção nas bilheterias

Eastwood e o ator Paul Walter Hauser || Créditos: Reprodução

Dirigido por Clint Eastwood, “O Caso Richard Jewell” estreou nesse fim de semana nos Estados Unidos e, como sempre acontece com a maioria dos trabalhos feitos sob a batuta do consagrado ator e diretor, chegou às telonas do país dando o que falar. O longa trata da história real de um segurança americano que foi falsamente acusado de ter participado do ataque com bombas durante as Olimpíadas de Atlanta, em 1996.

Richard Jewell, que é o segurança em questão e também quem dá nome à fita (na qual é interpretado por Paul Walter Hauser), salvou várias vítimas durante a tragédia, mas no fim acabou sendo considerado pelo FBI como um dos principais suspeitos do crime de terrorismo e, em razão disso, foi vilanizado por boa parte da imprensa americana até ser inocentado 88 dias depois do ocorrido.

Mas a polêmica, nesse caso, não tem a ver com o “segurança herói”, mas sim com uma das repórteres retratadas em “O Caso Richard Jewell”, Kathy Scruggs, que é vivida por Olivia Wilde no drama biográfico. Em uma das cenas da produção, Wilde aparece na cama com um agente do FBI, o que Scruggs teria feito com o objetivo de conseguir informações exclusivas da investigação sobre o ataque que chocou o mundo há 23 anos.

Scruggs, no entanto, é categórica ao afirmar que o contato íntimo jamais aconteceu, e o jornal para o qual ela trabalhava na época, o “Atlanta Journal-Constitution”, exigiu em carta aberta que os responsáveis por “O Caso Richard Jewell” deixem claro para o público que alguns eventos abordaram em sua trama baseada em fatos reais foram reimaginados com liberdade criativa e não refletem a realidade.

O documento foi endereçado a Estwood, ao roteirista Billy Ray e ao estúdio Warner Bros., que produziu e distribuiu o filme. E o público, que sempre gostou do lado provocativo de Eastwood, tampouco parece estar do lendário astro de Hollywood dessa vez: “O Caso Richard Jewell” faturou apenas US$ 5 milhões (R$ 20,4 milhões) nas bilheterias americanas entre sexta-feira e domingo, uma cifra bem abaixo dos valores levantados na estreia por outros longas dele. (Por Anderson Antunes)