18.11.2017  /  8:00

Perfumista Christine Nagel fala sobre aromas e o novo perfil da consumidora Hermès

Christine Nagel || Créditos: Divulgação

A suíça Christine Nagel é considerada uma das principais perfumistas do mundo e “o nariz” da Hermès. No mês passado, a marca anunciou o lançamento de sua nova fragrância, Twilly d’Hermès, que teve como foco as millenials, ou seja: mulheres nascidas a partir dos anos 80. Segundo Christine, essas mulheres não usam mais o carré, o tradicional lenço da Hermès, amarrado no pescoço, mas de formas mais inusitadas: sobre o busto, como cinto, em volta do pulso ou como colar. “Ao observar essas jovens mulheres, percebo que elas gostam da marca assim como as mães delas. Mas elas apreciam o lifestyle da marca de uma maneira mais criativa como nunca poderíamos imaginar”, explica Christine em entrevista exclusiva ao Glamurama.

“Queríamos um frasco que expressasse a verdadeira modernidade, mas que também transmitisse nossa herança. Florence Manlik, nossa designer de lenços, pegou o frasco e cortou, limpou e o modificou drasticamente. Ela então, em um toque generoso e peculiar, aumentou o tamanho da tampa para dar a aparência de um chapéu de grandes dimensões. E por último, como toque final, colocou uma pitada de capricho. Tivemos a ideia de criar uma espécie de gravata”, explica Nagel sobre a embalagem e a identidade visual do novo perfume da maison.

O novo Twilly d’Hermès || Créditos: Divulgação

Fugindo dos aromas doces e caramelizados, Christine usa no perfume cheiros pouco usuais como o gengibre, raízes frescas e sândalo, um tipo de madeira muito frequente nos aromas da Hermès, mais leitosa e com um toque ‘carnal’.

Christine também conta que possui carta branca para propor suas novas ideias – demore o tempo que for preciso para se consolidar. “Não existe uma regra quanto ao tempo de pesquisa para a criação de um novo perfume. Isso poderia levar um, dois, três ou dez anos… Não há limite. Eu apresento meus projetos quando os julgo prontos, maduros. Este é um luxo incrível. Na maison, chamamos isso de ‘Tempo Hermès’”, explica.

Por fim, queríamos saber o que a inspira e Nagel foi categórica: mulheres criativas! “Eu as observo, assisto elas liderarem suas vidas. Entendi e descobri uma conexão óbvia entre o espírito livre de Hermès e essas jovens mulheres. Só é preciso olhar para o que elas fazem com os nossos lenços e o que nós nos atrevemos a fazer com a seda que se transforma neste acessório tão versátil. É o mesmo espírito livre e eu queria que essa fragrância fosse nossa ponte com essa nova geração. Acho que consegui!”, completa. Très chic! (Por Matheus Evangelista)