Mark Zuckerberg
Mark Zuckerberg || Créditos: Reprodução

Performance do Facebook durante a quarentena faz fortuna de Mark Zuckerberg aumentar R$ 16,2 bi em um dia

1 Compartilhamentos
1
0
0
0
0
0
Mark Zuckerberg
Mark Zuckerberg || Créditos: Reprodução

A expectativa de que o Facebook divulgue, nas próximas semanas, resultados bem melhores do que os esperados pelos analistas para sua performance no primeiro trimestre de 2021 fez com que a ação do gigante das redes sociais disparasse quase 3% no pregão dessa segunda-feira da bolsa de valores eletrônica NASDAQ, dos Estados Unidos. De quebra, esse salto aumentou a fortuna de Mark Zuckerberg – seu cofundador e maior acionista – em nada menos que US$ 2,8 bilhões (R$ 16,2 bilhões), para o total de US$ 106,1 bilhões (R$ 612,7 bilhões).

Já o brasileiro Eduardo Saverin, outro acionista da empresa, viu sua fortuna aumentar em US$ 417 milhões (R$ 2,41 bilhões), para US$ 16,1 bilhões (R$ 93 bilhões), cifra que faz dele o segundo homem mais rico do Brasil atrás apenas de Jorge Paulo Lemann, que tem US$ 17,8 bilhões (R$ 102,8 bilhões).

Voltando ao sucesso do Facebook, este é resultado direto da quarentena global imposta pela pandemia de Covid-19, que resultou em uma quantidade bem maior de pessoas trancadas em casa e tendo entre suas poucas opções de entretenimento surfar na internet. Em 2020, o Face faturou US$ 86 bilhões (R$ 496,6 bilhões) e lucrou US$ 29,1 bilhões (R$ 168 bilhões), sendo que seu valor de mercado atual é de US$ 828,1 bilhões (R$ 4,78 trilhões). (Por Anderson Antunes)