Dica Suzuki Jimny: snowboarding, uma aventura na neve neste inverno

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

Luiz Pastore, 21 anos, estuda, trabalha e ainda arranja tempo para treinar box e jiu-jitsu no dia a dia. Mas tem um esporte que ele só consegue fazer fora do país, o snowboarding. Sempre que pode, Luiz arruma um jeito de dar uma escapada para a neve. Glamurama e Suzuki conversaram com ele sobre a prática, um pouco difícil de aprender, mas que vale muito a pena. Conheça os principais lugares para começar o esporte. Embarque nessa aventura!

Por que você preferiu o snowboarding ao esqui?

Meu primeiro contato com a neve foi aos cinco anos, eu não tinha escolha, meus pais me colocaram no esqui e continuei nele até mais ou menos os dez anos. Depois disso, na minha adolescência, eu fiquei dois anos sem viajar para a neve, quando voltei já estava sem a prática do esqui e, como iria mesmo começar do zero, resolvi aprender algo novo, o snowboarding.

E o que te chamou a atenção no snowboarding para querer aprender?

Puramente o estilo, a forma que flui na neve. Traçar a sua linha, fazendo bem feito, fazendo bonito.

A prática do box e do jiu jitsu te ajuda no snowboarding?

Sim, tem tudo a ver com equilíbrio, mas o que me ajudou bastante mesmo foi o skate.

Quais são os benefícios para o corpo?

É muito exercício, principalmente na parte inferior do corpo. Fora tirar e por o snow, subir e descer a montanha. Volto das viagens na neve com o exercício do ano de coxa e panturrilha feito. Também me ajuda muito na prática das artes marciais, atividades que não trabalham tanto a perna.

E a adrenalina? É maior no snowboarding que no esqui?

O snowboarding é muita adrenalina, mas isso você tem nos dois. Tem gente que faz no esqui coisas super radicais, é relativo.

O snowboarding é mais difícil de aprender?

Não é fácil, o esqui é mais fácil para o básico, mas mais difícil de pegar a maestria. O snow é o contrário, é difícil começar por conta do equilíbrio de pesos, amortecimento com a dobra dos joelhos e suspensão.

Quantas vezes ao ano você viaja para praticar o snowboarding?

No mínimo uma vez por ano, ficando de uma semana a duas. Sempre que posso organizo com uma turma.

Quais são os seus conselhos para quem quer começar?

Sugiro reservar duas semanas em uma estação de esqui no Chile ou na Argentina e praticar. Eu mesmo sofri muito no início e quase desisti. Mas a recompensa é grande, é um aprendizado com você mesmo, sem competição. É preciso ir com a cabeça aberta para aprender. Existem vários estilos de snowboarding, gente que pratica na neve fofa, em meio às árvores, gente que gosta de fazer manobras nos parques de neve específicos e também quem busca simplesmente velocidade. Existem milhões de facetas.

*Confira a lista das principais modalidades do snowboarding:

Corrida livre– descer a montanha, tomando vantagem das rampas e curvas naturais da paisagem para conseguir ar e realizar manobras.

Estilo livre– focado nas manobras, como os giros, os saltos, pegar a prancha no ar e deslizar nas rampas. É praticado nos chamados parques de neve.

Estilo alpino é similar ao esqui, que enfatiza as altas velocidades e as curvas difíceis.

Halfpipe é um estilo aplicado em uma pista em formato de U que leva o mesmo nome da modalidade. Enquanto os snowboarders descem por um lado e sobem por outro, eles conseguem mais força cinética para ficar suspensos no ar e realizar manobras.

*E os principais points:

Las Leñas (Argentina), Bariloche (Argentina), Portillio ( Chile), Chillan ( Chile), Valle Nevado (Chile), Courchevel (França) e Gstaad (Suiça).

*Acompanhe as novidades da Suzuki no site www.suzukiveiculos.com.br; curta a página no Facebook (facebook.com/suzukibr), siga no Instagram (@suzukibr) e Twitter (@suzukiveiculos).