22.02.2017  /  12:12

Para americana especialista em BDSM, “50 Tons Mais Escuros” é “patético”

Jamie e Dakota em cena do filme, e a especialista em BDSM Sandra LaMorgese || Créditos: Divulgação
Jamie e Dakota em cena do filme, e a especialista em BDSM Sandra LaMorgese || Créditos: Divulgação

Considerada uma das maiores especialistas em BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) dos Estados Unidos, a médica holística americana Sandra LaMorgese classificou “50 Tons Mais Escuros”, o novo filme da franquia “50 Tons de Cinza” que está em cartaz nos cinemas, como “patético”. Em um artigo publicado no site “Huffington Post” nessa terça-feira, que está dando o que falar no hemisfério Norte, Sandra afirma que o longa estrelado por Jamie Dornan e Dakota Johnson dá uma má impressão sobre a prática.

“Como uma dominatrix profissional, eu trabalho constantemente para ser amável, ter compaixão e respeito pelos meus submissos, e nunca penso em manipular ou abusar deles”, ela escreveu no artigo. O perfil dos personagens interpretados por Jamie e Dakota também a incomoda, e segundo Sandra – que citou um estudo do “Journal of Sexual Medicine” – pessoas que praticam BDSM são menos neuróticas e mais extrovertidas, justamente o contrário de Christian Grey e Anastasia Steele.

Apesar das críticas, “50 Tons Mais Escuros” já é uma das maiores bilheterias do ano, com mais de US$ 284,4 milhões (R$ 877,6 milhões) em ingressos vendidos em todo o mundo desde a estreia, em 10 de fevereiro. (Por Anderson Antunes)