Paparazzi que flagraram Kate Middleton de topless vão a julgamento

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
0
nota4
Revista Closer nas bancas, em 2012 || Créditos: Getty Images

As fotos publicadas em setembro de 2012 pela revista francesa “Closer”, nas quais Kate Middleton aparece de topless, continuam fazendo barulho. Imediatamente após a divulgação das imagens, Kate anunciou que iria processar a revista, e desde então uma investigação criminal sobre o caso é realizada pela justiça francesa.

No início de 2017, pelo menos seis pessoas irão a julgamento por conta do flagra, incluindo fotógrafos e diretores do grupo editorial Arnoldo Mondadori Editore, que pertence ao bilionário e ex-premiê italiano Silvio Berlusconi, e do jornal “La Provence”.

Segundo a imprensa francesa, Kate poderá exigir na justiça uma indenização multimilionária por danos morais e invasão de privacidade, já que as fotos foram registradas quando ela estava na varanda de uma residência privada em Luberon, região montanhosa da Provença, enquanto curtia férias com o príncipe William.

Uma pesquisa feita na época revelou que um em cada cinco britânicos conferiram as imagens, apesar das inúmeras tentativas da família real de evitar a exposição da intimidade do casal. (Por Anderson Antunes)