16.10.2019  /  9:00

Oscar Wilde nascia há 165 anos e Glamurama relembra 5 dos melhores filmes baseados em seus livros

Oscar Wilde || Créditos: Getty Images

Considerado um dos mais influentes escritores da língua inglesa, o irlandês Oscar Wilde nascia há exatos 165 anos. Autor de inúmeros clássicos da literatura universal, Wilde teve vários de seus trabalhos adaptados para a telona desde 1921, quando “Uma Mulher Sem Importância” estreou nos cinemas sob a batuta do americano Denison Clift e com Fay Compton e Milton Rosmer no elenco.

De lá pra cá foram mais de 30 produções “wildianas”, levando em conta apenas aquelas feitas por Hollywood, o que o torna um dos autores mais celebrados pela meca do cinema mundial. Em homenagem a Wilde – que morreu aos 46 anos, em 1900, em Paris – Glamurama lista a seguir 5 dos melhores filmes baseados em obras dele. (Por Anderson Antunes)

“O Gigante Egoísta”, de 2013

Co-produção entre britânicos e americanos, com direção de Clio Barnard, o filme indie é baseado em um conto que Wilde publicou em 1888 sobre um menino de 13 anos e seu melhor amigo, ambos marginalizados pela sociedade. É uma fábula sinistra sobre a adolescência, que recebeu vários prêmios internacionais e é, para muitos, o melhor resultado de um texto do escritor adaptado para o cinema.

“Wilde Salomé”, de 2011

Trata-se, na verdade, de um documentário com momentos que misturam cenas reais e fictícias dirigido por Al Pacino no qual o astro fala sobre sua experiência com a peça “Salomé”, escrita por Wilde em 1891. O filme, que trata de poder, política e sexualidade, passou despercebido do público, mas foi considerado um dos melhores do ano pela crítica especializada.

“A Importância de Ser Prudente”, de 2002

Dirigido pelo inglês Oliver Parker, a comédia tem um elenco de peso que inclui nomes como Rupert Everett, Colin Firth, Frances O’Connor, Reese Witherspoon, Judi Dench e Tom Wilkinson. É mais uma adaptação de uma peça homônima escrita por Wilde, datada de 1895, sobre uma confusão que envolve as identidades de dois homens que nunca se conheceram. Destaque para a ótima trilha sonora de Charlie Mole.

“Um Marido Ideal”, de 1999

Outro filme de Parker, fã confesso de Wilde, o longa é baseado na peça de mesmo nome lançada pelo escritor em 1895, sobre um solteirão convicto vivido por Rupert Everett que surge para salvar o dia de um político que está sendo chantageado. Cate Blanchett, Minnie Driver e Julianne Moore ajudam a garantir o sucesso das cenas de drama que por vezes migram para a comédia, um dos traços mais marcantes de Wilde.

“Wilde”, de 1997

Nesse caso, o trabalho original não é de Wilde, mas do escritor Richard Ellmann, que publicou aquela que é considerada a melhor biografia do irlandês em 1987. O livro ganhou até um prêmio Pulitzer, e rendeu a cinebiografia dirigida por Brian Gilbert e estrelada pelo comediante Stephen Fry em uma de suas mais brilhantes performances até hoje, classificada como “extremamente intimista” pelo “The New York Times”.