09.01.2018  /  14:57

Oprah não quer ser presidente, mas mesmo assim está lucrando alto com a ideia. Entenda!

Oprah Winfrey || Créditos: Getty Images

Não é apenas a ideia de que Oprah Winfrey concorra à presidência dos Estados Unidos em 2020 que está em alta desde que ela fez seu  discurso de agradecimento no Globo de Ouro do último domingo, quando recebeu o prêmio pelo conjunto da obra Cecil B. DeMille. Diante das especulações cada vez mais sérias de que a apresentadora entre na próxima disputa pela Casa Branca, a ação da Weight Watchers – da qual ela se tornou acionista em 2015 – disparou mais de 13% na bolsa de Nova York desde o pregão de segunda-feira.

Oprah investiu cerca de US$ 40 milhões (R$ 129,5 milhões) por uma fatia de 10% na empresa de dietas há três anos, uma participação que se multiplicou em valor de mercado de lá pra cá e hoje equivale a mais de US$ 340 milhões (R$ 1,1 bilhão), representando um ganho de mais de 700% no papel. A transação foi tão bem sucedida que já está sendo citada por aqueles que sonham em vê-la enfrentando Donald Trump em sua eventual e bastante provável disputa por um segundo mandato de presidente, como um exemplo da expertise dela para os negócios.

O único porém é que, de acordo com a rede americana de televisão NBC, Oprah não está nem um pouco interessada em assumir o cargo tão cobiçado e só não se pronunciou publicamente ainda para esclarecer isso porque não quer decepcionar seus fãs. Sem falar que, no caso da apresentadora bilionária, qualquer publicidade gratuita como a atenção em massa que ela está recebendo desde domingo pode se traduzir em dinheiro a mais na conta, como ficou evidente com a disparada na bolsa da Weight Watchers. (Por Anderson Antunes)