14.09.2018  /  11:41

Obra de David Hockney está perto de ser a mais cara já vendida por um artista em vida

Tela “Portrait of an Artist”, criada em 1972 por David Hockney || Créditos: Divulgação

A notícia que agitou por completo o mercado de arte nessa quinta-feira foi a do anúncio feito pela Christie’s de Nova York sobre o quadro “Portrait of an Artist”, pintado em 1972 por David Hockney. Segundo a casa de leilão, o valor estimado de venda da obra  – que acontece em novembro – é de US$ 80 milhões (R$ 334 milhões). Caso essa quantia seja alcançada, ela se tornará a obra de arte mais cara já vendida na história por um artista em vida.

David Hockney em frente a uma de suas obras, “The Arrival Of Spring in Woldgate, East Yorkshire in 2011”,  durante mostra no Centre Pompidou em 2017 || Créditos: Getty Images

Seu valor é cerca de três vezes maior do que a obra mais cara vendida por Hockney até hoje: “Pacific Coast Highway and Santa Monica”, leiloada neste ano pela Sotheby’s por US$28,5 milhões (R$ 119 milhões) -, e quebraria o recorde no mercado de arte contemporânea, que até então pertencia a Jeff Koons pela escultura “Balloon Dog”, vendida em 2013 por US$ 58 milhões (R$ 242 milhões) . Na sequência vem Gerhard Richter, o mais valioso artista europeu, que vendeu sua “Abstraktes Bild” (1988) em Londres, em 2015, por US$ 46 milhões (R$ 192 mi).

“Pacific Coast Highway and Santa Monica”, de David Hockney || Créditos: Divulgação

O quadro “Portrait of an Artist” tem 3 metros de largura e mostra um homem nadando embaixo d’água em uma piscina, observando por outro, que representa o ex-namorado de Hockney, Peter Schlesinger, em meio a uma paisagem verde e montanhosa. A obra pertence ao bilionário Joe Lewis,  dono do time de futebol inglês Tottenham Hotspur, que vive nas Bahamas e também tem em sua coleção Picasso, Chagall, Matisse e Lucian Freud.

No último ano, a tela foi exibida no Tate, em Londres, em uma retrospectiva dedicada ao artista que depois seguiu para o Centre Pompidou, em Paris, e para o Metropolitan Museum of Art, em Nova York. Antes da venda, ela ainda será exibida em Hong Kong, nos dias 28 e 29 de setembro, em Londres, entre os dias 3 e 5 de outubro e, em Los Angeles, entre os dias 23 e 27 de outubro.

“O brilhantismo de David Hockney como um artista está em total exposição com essa tela monumental, que capta a essência de uma paisagem idealizada de uma piscina, e a complexidade que existe entre os relacionamentos humanos”, falou Alex Rotter, vice-presidente de arte contemporânea da Christie’s. A gente concorda!