23.02.2021  /  14:38

O que o Daft Punk, que acaba de anunciar seu fim, tem a ver com Caraíva? Mais do que se imagina…

Bar do Porto em Caraíva, Thomas (em primeiro plano na foto p&b) com Homem-Christo do Daft Punk // Reprodução

Nessa semana uma notícia abalou o mundo da música. A incensada dupla francesa de música eletrônica, Daft Punk, anunciou seu fim por meio de um vídeo no Youtube. Foram quase 30 anos de carreira, quatro álbuns e alguns prêmios Grammy que fizeram de Guy-Manuel de Homem-Christo e Thomas Bangalter, com suas vestes de robôs, estrelas ao redor do planeta. O que pouca gente sabe, é que Thomas tem uma ligação bem especial com o Brasil, mais especificamente com Caraíva. É que o pai dele, Daniel Bangalter, produtor musical e compositor conceituado nos anos 1970 e 1980, escolheu o vilarejo no sul da Bahia como sua casa. Daniel, de 74 anos, trocou a França pelo litoral baiano na década de 1990, mesma época em que o filho criava o Daft Punk.

Apelidado de ‘prefeito de Caraíva’ ou simplesmente ‘Francês’, ele é uma espécie de embaixador do local e pode ser visto circulando tranquilamente pelas ruas de areia com seu estilo hippie. Vive em um lindo château às margens do rio, onde costuma fazer festas e receber amigos, entre eles muitos famosos. Também é proprietário de vários comércios locais, entre eles, o Bar do Porto, concorrido spot pé na areia que lota no início da noite por conta de suas pizzas ao som de chorinho.

Em 2009, Daniel Bangalter fundou a ONG CaraivaViva, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida no local através de programas de desenvolvimento voltados para educação, saúde, cultura e sustentabilidade.

Quanto ao filho famoso… Thomas costuma visitar o pai com uma certa frequência. Não é raro passar temporadas em Caraíva sem ser notado, já que, à frente do Daft Punk, pouco mostrava seu rosto, sempre escondido atrás do capacete futurista que virou marca registrada da banda.