23.10.2016  /  20:36

O que é nota 10? Glamurettes respondem na festa da Revista J.P

Em sentido horário: Alberto Hiar, Renato Aguiar, Miriam Mamber e Antônio Bivar || Créditos: Andre Ligeiro/Paulo Freitas/Bruna Guera/Divulgação
Em sentido horário: Alberto Hiar, Renato Aguiar, Miriam Mamber e Antônio Bivar || Créditos: Andre Ligeiro/Paulo Freitas/Bruna Guera/Divulgação

Os 10 anos da Revista J. P por Bradesco estão sendo comemorados comme il faut, ao lado de glamurettes que a gente adora. Perguntamos para eles: O que é nota 10? Desde nomes para ficar de olho até o prato do verão, passando por comportamento, e o melhor, de uma turma pra lá de eclética. E o 10 vai para…

Renato Aguiar, banqueteiro 
“O prato nota 10 para este verão é uma salada grega preparada na hora com torradinhas de lemon pepper e um maravilhoso queijo de cabra.”

Gregório Kramer, designer 
“Eu dou nota 10 para uma trajetória de vida, como a da Joyce [Pascowitch]. Uma história de vida e de conquistas.”

Attilio Baschera, designer 
“Nota 10 ao arquiteto Dado Castello Branco! Estive na casa dele há um mês e fiquei encantado.”

Miriam Mamber, designer
“Dou nota 10 para a música “Vincent”, de Don McLean, um tributo a Vincent van Gogh.”

Antônio Bivar, escritor 
“Dou nota 10 a quem não tem preconceitos. Quando era mais jovem eu tinha muitos, com determinados estilos. Hoje, acho que a vida é muito curta para focar em apenas algumas coisas quando ela te oferece tantas coisas boas. Musical, por exemplo, era algo que eu não gostava e, depois de uma viagem à Londres, mudei minha opinião e hoje adoro. Viver ser preconceitos te devolve um lado não infantilóide, mas um lado infantil.”

Alberto Hiar, estilista e empresário
“Nota 10 para as noites de sexta-feira no Jamile, meu novo restaurante. Fica cheio de pessoas interessantes que circulam por diversos círculos culturais. Adoro isso.”

Walério Araújo, estilista
“Às pessoas que estão se assumindo em tudo. Coisa que eu sempre fiz. Estão saindo do armário, literalmente. Sinto que todos estão mais cuidadosos em perceber se as pessoas são mesmo de verdade.”