15.08.2018  /  11:51

“O momento do Brasil não é para amadores”, reflete Patricia Pillar em papo sobre cinema, política e violência

Patrícia Pillar na pré-estreia de “Unicórnio” que rolou nessa terça-feira no Cinearte, em São Paulo || Créditos: Francisco Rosatelli

Aos 54 anos e com uma carreira de sucesso, o que Patrícia Pillar ainda quer para sua vida? “Frear o tempo”, falou ao Glamurama na noite dessa terça-feira durante a pré-estreia de “Unicórnio”, filme de Eduardo Nunes que conta com a atriz em seu enxuto elenco. Foi justamente o ritmo retratado no longa, projeto baseado na obra de Hilda Hilst, que a atraiu ao papel.

“UNICÓRNIO”

“Como o filme trata de questões internas de uma menina [Bárbara Luz], seu tempo não obedece ao cronológico, mas um ritmo mais humano. Absorvi um pouco dessa calma para mim, já que a gente vive em um mundo tão corrido, no qual as máquinas se sobrepõem ao nosso tempo e acabamos sendo atropelados pelas situações antes mesmo de absorvê-las”, explica. “Essa tentativa de frear um pouco o tempo cronológico é algo que quero levar para a minha vida.”

Em cartaz a partir desta sexta-feira nos cinemas de todo país, “Unicórnio” conta a história de Maria [Bárbara Luz], uma garota que vive no campo com sua mãe (Patricia Pillar) a espera da volta do pai [Zé Carlos Machado] para a casa, quando o destino das duas se cruza com um criador de cabras [Lee Taylor] que vive na região. Neste contexto, temos Patrícia Pillar imersa em uma atmosfera bucólica e solitária em papel que foi para ela uma “aventura” pelo fato de não ter tido até então contato com obras de Hilda.

Patrícia Pillar no filme “Unicórnio” || Créditos: Divulgação

RIO

Nascida em Brasília, Patrícia vive no Rio há muitos anos. Para ela, os problemas enfrentados pela cidade atualmente são de “difícil resolução”. “Precisamos de gente muita séria e que tenha capacidade de fazer com que o Rio volte a ter alegria.” Sobre as mudanças no cotidiano, reflete com pesar: ” Violência assusta muito. As pessoas estão mais entristecidas, não só pela violência mas pelo tipo de governante que tem hoje lá. Isso entristece muito o Rio de Janeiro.”

POLÍTICA

“Acompanho, gosto e acho altamente necessário neste momento que as pessoas se informem bem, para votar direito. O momento do Brasil não é para amadores.” Claro que Ciro Gomes, com quem foi casada entre  1999 e 2011, entrou em pauta. “É o meu candidato”, falou categoricamente. “É a pessoa mais capacitada para lidar com os problemas que precisam ser resolvidos no país. Tem experiência para isso”, completou.

NOVO VISUAL 

Para quem pensa que Patrícia mudou o visual para abandonar o intenso papel na supersérie da Globo “Onde Nascem os Fortes”, em que interpretou Cássia, ela desmistifica: “De vez em quando gosto de mudar, ou a cor ou o comprimento. Estava só cansada de ter cabelo comprido.” Na pré-estreia, a atriz estava com look descolado que combinava saia midi assimétrica, tênis esportivo e bolsa Céline.

Patrícia Pillar na pré-estreia de “Unicórnio” que rolou nessa terça-feira no Cinearte, em São Paulo || Créditos: Reprodução Instagram

CABECEIRA

No momento, Patrícia está lendo dois livros: “Sapiens: Uma Breve História da Humanidade”, de Yuval Harari, diz estar “amando” e ansiosa para chegar ao volume dois, o “Homo Deus: Uma Breve História do Amanhã”, e um outro que ainda nem foi lançado de seu amigo Quito Ribeiro.

PRÓXIMO CAPÍTULO

Patrícia ainda não tem nenhum outro projeto à vista. “Só quero ficar um pouco relaxada”, contou ela. (Por Julia Moura)