26.10.2017  /  11:13

“O estudante é o protagonista do seu aprendizado e do futuro”, entrega diretora da Escola Concept que desembarca em SP

Bate-papo sobre o futuro da educação armado pela Escola Concept || Créditos: Bruna Guerra

Um papo que foi muito além do significado de educação. Nessa terça-feira, Joyce Pascowitch, Thamila Zaher, diretora executiva do grupo SEB, e Priscila Torres, diretora da Concept São Paulo, armaram um bate-papo para marcar o lançamento da Escola Concept em São Paulo. Os convidados acomodados na Casa Glamurama, no Jardim América, puderam entender um pouco mais sobre as mudanças no ensino e como acompanhar tantas transformações por meio de uma escola como a Concept, que traz um projeto inovador com metodologias que integram experiências da vanguarda da educação mundial. Priscila Torres é expert no assunto. Carrega um currículo de respeito nesta área. Passou por instituições como Harvard, Cambridge e Johns Hopkins. “Estudei com pesquisadores de vanguarda da educação. Sempre me interessei muito pelos movimentos educacionais ao redor mundo e tive a oportunidade de conhecer todos esses polos, tanto nos Estados Unidos, quanto no Brasil, passando por países da Ásia, África e Índia”.

Tendência em educação

A Concept propõe que o aluno seja protagonista do seu aprendizado. Ele está no comando da própria educação e gosta do que faz. Ir para a escola se torna uma oportunidade para o jovem explorar seus interesses, curiosidades e experiências. “O foco da nova educação está nos interesses individuais. Por isso eliminamos o desinteresse e a bagunça das escolas comuns. Tudo acontece organicamente”, afirma Thamila.

Conteúdo internacional

A equipe visitou vários países, entre Ásia, Europa e América, para descobrir o que há de mais revolucionário no universo da educação. “Entender os movimentos globais foi muito importante para conhecer as reais tendências e porque elas acontecem nesses locais. Cada experiência nos trouxe um “insight”. Por exemplo, quando fomos para a Suíça entendemos sobre multiculturalidade, já que é o país com maior número de estudantes estrangeiros. Queríamos entender como eles trabalham isso. Na Finlândia tem a questão de habilidades e competências, de tirar o máximo do potencial do aluno. Na Califórnia fomos atras de sustentabilidade. Em Singapura descobrimos sobre a personalização do ensino como acontece no trabalho “one to one” com o aluno. A partir disso a gente olhou para dentro e construiu uma proposta que fizesse sentido para a Concept”, explica Thamila.

Pilares da Concept

A Concept se baseia em quatro pilares:

Empreendedorismo- Ser empreendedor é ter autonomia, entender e solucionar problemas, e ter atitude, habilidades cultivadas desde a infância.

Sustentabilidade – Passa pela questão do meio ambiente, a preocupação em tomar decisões e questionar como elas irão impactar o mundo que vivemos. É cidadania. Como ser um bom cidadão.

Colaboração – Estamos todos conectados e trabalhando juntos. Ninguém tem uma resposta por si só. Nem os mestres e professores. A ideia é colaborar e compartilhar.

Influência digital – Trabalhar com o estudante no mundo digital, afinal ele nasceu cercado pela tecnologia. Inteligência computacional, como resolver e entender essas questões abstratas.

Por aqui deu vontade de começar a estudar tudo de novo. Espia só no vídeo abaixo um pouco do que rolou por aqui.