30.06.2015  /  8:56

O estilo boho de Luiza D’Angelo, nome mais escutado nas festinhas cariocas

Luiza D'Angelo || Créditos: Juliana Rezende
Luiza D’Angelo || Créditos: Juliana Rezende

É jovem – de alma, ao menos – e  quer saber o que tem de bom pra fazer no Rio? Pergunte para Luiza D’Angelo. A moça arrasta uma turma de top glamurettes por onde passa: meninas lindas, viajadas, trendsetters do carioca way of life. Ela está por trás das melhores festinhas [é amiga de Zeh Pretim, pra citar só um, e promove os eventos dele], comanda a lista de eventos fechados para marcas de moda, circula pela cidade toda e adora estar ao ar livre. Seja tomando um drink ou praticando esportes. É do tipo que dorme tarde e acorda cedo, sim, para fazer uma das trilhas ecológicas que o espaço urbano do Rio oferece. Ah, e é ótima pra dar dicas de novos restaurantes, bares, designers de bijoux… Tipo guia mesmo. Passamos uma tarde com a Luiza no Jardim Botânico, um dos seus lugares preferidos e cenário perfeito para registrar as últimas apostas fashion dela.

“Escolhi pra vocês looks diurnos, com os quais eu iria para uma pool party, day party… Ou para almoçar em um dia bonito e depois estender para um fim de tarde, um por do sol com as amigas, dar uma volta na Casa Daros, em Botafogo…”, conta Luiza. “Eu vou à praia mais em São Conrado, onde moro, e o quiosque dos italianos é uma ótima opção de almoço pós-praia. Pra esse tipo de programação, também gosto muito da varanda do Sushi Leblon, do Guiminhas [restaurante Guimas, na Gávea]. O Braseiro [no mesmo bairro] agora está fechado, mas eu também adoro. Em Santa Teresa, gosto do Aprazível e do Bar do Mineiro. E amo o Bar Urca, que tem um estilo bem descolado.” (Por Michelle Licory)

Quatro peças dominaram os looks que a glamurette separou pra gente:

1) Chapéu: “É um acessório muito festival, né? Adoro porque tenho cabelão, acho que fica bem. É um item bem forte, bem marcado. Aqui no Rio as pessoas não têm o hábito de usar chapéu, mas eu gosto. Desde o ano passado, quando viajei pela primeira vez para o Coachella, peguei essa tendência. Mas o melhor lugar pra botar o chapéu é na sua cabeça [risos]. Se você tira, ele vira uma tralha. É grande, não pode amassar, não pode colocar em qualquer cantinho. Tenho alguns, mas prefiro esses de aba maior. Tenho três nesse modelo: dois marrons e um preto. Sempre cores neutras, pra combinar com tudo. Mesmo assim, não dá misturar chapéu com tudo porque beira a fantasia. Pode fica um look ‘too much’, então eu prefiro usar com jeans, coisas mais básicas.”

2) Quimono: “Já faz um tempo que adotei. Acho que é um coringa porque é confortável e tem um estilo forte. Você fica mais arrumada… Há um ano e meio começou essa onda de quimono e ainda não se perdeu. Pelo contrário: acho que as pessoas estão apostando cada vez mais, usando de jeitos diferentes. Usaria até por cima de um maiô.”

3) Botinha sem salto: “A botinha de franja que escolhi para as fotos é meu vício, já tenho há 5 anos e é um coringa do meu armário. Qualquer look que eu ache que tem a ver, coloco. Dá um charme e franja está super em alta. E não sai tão cedo. Tenho 1,74 m. Podendo, vou sem salto. É bem mais confortável.”

4) Bijoux com pedras: “Estou apaixonada por pedra, acredito na energia. Amo astrologia, signo, mapa astral… E as pedras te protegem de energias negativas. Gosto de estar sempre usando. Pirita é do meu ascendente, leão, e esmeralda, do meu signo, gêmeos. Escolho a bijoux ou joia vendo qual é a pedra.”

Confira os looks de Luiza: