14.08.2009  /  20:20

Apesar da crise, executivos norte-americanos continuam recebendo polpudos bônus.

Com a crise econômica ainda causando estragos nos Estados Unidos, seria natural que os executivos das grandes corporações do país optassem por não receber os polpudos bônus aos quais estão acostumados, certo? Pois o que está acontecendo é justamente o contrário.

* Stephen Schwarzman, por exemplo, foi o executivo mais bem pago em 2008, justamente o momento em que a recessão se tornava mais aguda. Como presidente-executivo da empresa de investimentos Blackstone Group, ele embolsou exatos US$ 2,7 milhões em salários e mais um fenomenal bônus de US$ 699,7 milhões.

* Lawrence Ellinson, fundador e presidente-executivo da Oracle, também faturou bastante apesar da crise: exatamente US$ 556,9 milhões, entre salário e bônus. E olha que as ações da empresa dele, como todas as outras, registraram forte queda nos últimos meses.