Nova queridinha da turma mais antenada, a cantora Luedji Luna fala sobre beleza com a Revista J.P

21.04.2019  /  9:00

Sua voz soa como poesia e suas músicas invadiram de vez o Spotify da turma mais antenada. Se ainda não escutou Luedji Luna, corra para baixar “Banho de Folhas”: vai abençoar seu dia. Mas as letras dessa baiana de 31 anos vão além do bel-prazer: são uma ode ao respeito a si próprio, tão importante nos últimos tempos. E dá para acreditar que ela já se sentiu “a patinha feia da sala”?

• Qual a relação com seu corpo?
“Meu corpo é negro, ver ele ocupando espaços antes instransponíveis mostra o quanto podemos ser potência. Um corpo é símbolo!”
• Quando se deu conta desse poder todo?
“Eu sempre fui a patinha feia da sala. Acreditar na beleza hoje ainda é um processo de cura.”
• De que jeito se preocupa com a beleza?
“Pele: para mim beleza é pele boa, e isso a felicidade traz.”
• Ícones de beleza: “Lupita Nyong’o.”
• Produtos que não vive sem: “Bepantol creme e líquido.”
• Extravagância necessária: “Produtos da M.A.C.”
• Amo ver no espelho… “Meus olhos e minha pele bem limpinha depois de uma esfoliação.”
• Músicos que tocariam em sua festa dos sonhos: “Wizkid, Davido, Tekno, Mr. Easy e Mayra Andrade.” (por Thayana Nunes para Revista J.P)