Um amor chamado Vidigal: Roberta Rodrigues realiza sonho ajudando comunidade onde cresceu

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Roberta Rodrigues realiza sonho ajudando comunidade onde cresceu || Créditos: Divulgação

Intensidade poderia ser o sobrenome dela! Roberta Rodrigues, a ciumenta Doralice de ‘Segundo Sol’, não poupou esforços para realizar mais um sonho: ajudar a comunidade onde cresceu, o Vidigal. Para isso, buscou apoio no projeto do qual já é madrinha, o Vidiga na Social, e na marca que decorou o quarto de sua filha Linda Flor, a Grão de Gente. “A maternidade é algo que transforma, eu já me preocupava com a sociedade antes de ser mãe, mas agora isso triplicou. Arregaçamos as mangas mesmo e conseguimos atender mais de 350 famílias com doações de móveis e enxovais “,  comentou a atriz, que é presença garantida em todas as ações importantes do projeto, como Páscoa, Natal e Dia das Crianças.

Roberta aproveitou o momento para contar um pouquinho da sua experiencia com a maternidade, falar sobre a crise política que atinge o Brasil e da esperança de um mundo melhor: “Essa ação é como se fosse um abraço e abraço é bom! Se a gente se unir, nem que seja um pouquinho, consegue transformar este mundo. Por isso, entramos em contato com a Grão de Gente, porque eles não visam só o lucro e investem muito no social. Uma empresa que se tornou minha família”.

Roberta Rodrigues realiza sonho ajudando comunidade onde cresceu || Créditos: Divulgação

O evento, que também contou com palestras com profissionais da área de saúde, cestas básicas e brincadeiras para crianças, foi batizado de Caminhão Solidário Grão de Gente por uma sugestão da atriz, que se mostrou muito grata com a parceria. Roberta reuniu um time com mais de 60 voluntários, abraçou cada um, tirou fotos e conversou com as gestantes que participaram do evento. Agradeceu a presença de todos e a parceria do Instituto Sabrina Sato.

Você também pode gostar
Solidão Pandemia

Depois da tempestade

O restaurante que eu frequentava antes da pandemia reabriu. Esteve fechado por meses, e eu o tinha como…