Donald Sutherland em “Trust” || Créditos: Divulgação

Série sobre o bilionário J. Paul Getty conta detalhes sórdidos de sua vida, como a obsessão por sexo

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Donald Sutherland em “Trust” || Créditos: Divulgação

Morto em 1976, Jean Paul Getty parece ser o biografado do momento em Hollywood. A história dele foi abordada em “Todo o Dinheiro do Mundo”, o filme de Ridley Scott que concorreu a um Oscar no começo do mês (Melhor Ator Coadjuvante, com Christopher Plummer), e na série “Trust”, que estreou neste domingo no canal americano FX. Ambas as produções tratam do episódio que tornou Getty famoso mundialmente: o sequestro do neto dele, John Paul Getty III, em 1973, quando aquele que é considerado o primeiro bilionário da história se recusou a pagar o resgate com medo de transformar seus outros 13 netos em alvos de bandidos.

Mas a atração do FX, que foi criada por Simon Beaufoy (vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por “Quem Quer Ser um Milionário?”, de 2009) e é dirigida por Danny Boyle aborda ainda um outro lado da vida do industrial britânico que é pouco falado: a paixão dele por mulheres e sua obsessão com sexo. Justamente por isso que promete dar o que falar, já que no primeiro episódio chegou a mostrar cenas de Getty (interpretado por Donald Sutherland) na companhia de quatro namoradas e os próximos terão ele usando drogas, fazendo anotações em um “caderninho de conquistas” e até incentivando brigas entre suas amantes.

Getty foi casado cinco vezes, por último com Louise Dudley Lynch, entre 1939 e 1958. Sabe-se que em nenhuma das uniões ele foi fiel e tampouco podia se declarar um homem bem sucedido no âmbito familiar, já que vivia às turras com os dois filhos, sobretudo o primogênito, John Paul Getty Jr., pai de Getty III. Ele também era avarento ao ponto de ter instalado um telefone público em sua mansão conhecida como Sutton Place, na Inglaterra, a fim de não ter que pagar pelas ligações de seus convidados.

Muito bem recebida pela crítica, “Trust” não escapou de polêmicas e está na mira de Adriana Getty, irmã de Getty III, por ser o que ela classificou como “uma versão exageradamente sensacionalista” de sua família. “É irônico que tenham dado o nome de ‘Trust’ [confiança, em inglês] para esta série. Seria mais apropriado ‘Desconfiança’ ou simplesmente ‘Mentira'”, disse ela por meio de seus advogados. De qualquer forma, deverá ser renovada para pelo menos mais uma temporada e tem tudo para cair no gosto do público. Afinal, quem resiste a um bafão envolvendo um ricaço e todo o tipo de intriga ao seu redor? (Por Anderson Antunes)

O verdadeiro J. Paul Getty || Créditos: Getty Images
Você também pode gostar