Ricardo Amaral
Ricardo Amaral || Créditos: Ricardo Amaral

Ricardo Amaral: sem medo de rótulo de elitista. À entrevista!

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Ricardo Amaral  ||  Créditos: Ricardo Amaral
Ricardo Amaral || Créditos: Ricardo Amaral

Ricardo Amaral reinaugura em junho o lendário Hippopotamus, boate carioca que em seus áureos tempos recebeu nomes como Prince e Elton John. E durante mais de 20 anos reuniu o high e as estrelas da época. A hostess era Danuza Leão. Quem vai ser agora?

Foi nossa primeira pergunta para começar nosso papo com o empresário, essa segunda-feira no lançamento de mais um livro dele, “A Cara do Rio”, no La Fiorentina, no Leme. “Não vai ser só uma. Já fiz uma lista e agora estou passando a limpo para decidir “, despista. E o que elas precisam ter? “Com toda certeza, precisam ser bonitas. Beleza é mesmo fundamental. E serem ótimas fisionomistas, simpáticas sem ser over, além de atualizadas”. (Por Michelle Licory)

“Na crise, se divertir mais”

É verdade que o Hippo vai ser um clube fechado, como antes? Isso não é mais tão comum. Não tem medo de ser tachado de elitista? “Vai ser fechado e não tenho o menor medo. Estou fazendo isso porque tenho convicção que dará certo, que tem demanda, mesmo com crise. Aliás, na crise a gente precisa se divertir ainda mais. No mundo todo tem clube fechado. E círculos de pessoas que querem garantia de privacidade e de tratamento diferenciado”.

Gisella Amaral || Créditos: Juliana Rezende
Gisella Amaral || Créditos: Juliana Rezende

“Acompanho até em um charuto”

A mulher dele, Gisella Amaral, também conversou com a gente por lá. Será que ela, aos 75 anos, ainda está disposta a acompanhar o marido nas noitadas? “Estou cheia de energia e meu lugar é sempre do lado do meu Amaral. Vai ter um rooftop com uma tabacaria e eu o acompanho até em um charuto”. Em tempo: o lugar vai contar também com um restaurante com o mesmo chef de antes, Claude Lapeyre. Ele volta com seu filho, Ricardo Lapeyre, que já fez seu nome na cidade.

“Vai pegar bem, sim”

A gente também quis saber a opinião de Gisella, filantropa das mais famosas do Rio, sobre a casa ter o acesso restrito a sócios que atendam a pré-requisitos. “Todo mundo quer um lugar mais selecionado”. Será que vai pegar bem? “Vai pegar bem, sim. Lógico”

Você também pode gostar