Capa do livro “Raí autofoto_bio” || Créditos: Reprodução

Raí: história em livro e 5 momentos “gol de placa” do ex-jogador

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Capa do livro “Raí autofoto_bio”   ||  Créditos: Reprodução
Capa do livro “Raí Autofoto_Bio” || Créditos: Reprodução

Raí deixou admiradores pelos campos onde jogou no Brasil e no mundo. Depois de 15 anos longe dos gramados, ele definitivamente não pode ser comparado à maioria dos ex-jogadores, que costumam seguir carreira no futebol. Inteligente, homem de negócio e bom cidadão, Raí circula pelos mais diferentes meios. Agora pelo literário, lançando na próxima quarta-feira, na Livraria Paulista do Conjunto Nacional, “Raí Autofoto_Bio”, livro que conta a sua história por meio de imagens. Antes, Glamurama relembra 5 momentos “gol de placa” da vida dele. Ao túnel do tempo!

1 – Primeiro a seleção

Raí no início da carreira  ||  Créditos: Reprodução
Raí no início da carreira quando jogava no Botafogo de Ribeirão Preto || Créditos: Reprodução

Em 1987, Raí ganhou status de estrela do futebol e conseguiu dois grandes feitos. O primeiro foi a convocação inesperada para a seleção brasileira, já que ele jogava por um time pequeno, o Botafogo de Ribeirão Preto. Com o sucesso, ele foi comprado pelo São Paulo Futebol Clube.

2 – O terror do Morumbi

Raí comemora gol pelo São Paulo ||  Créditos: Reprodução
Raí comemora gol pelo São Paulo || Créditos: Reprodução

O começo no São Paulo foi difícil, principalmente pelas dificuldades de adaptação. Mas com a ajuda do técnico Telê Santana, Raí se tornou um dos maiores ídolos do clube, ovacionado até os dias atuais. Com a camisa 10, ele conquistou títulos Paulista, Brasileiro, Libertadores e Mundial Interclubes.

3 – Bonjour, Paris

Raí comemora título pelo Paris Saint Germain  ||  Créditos: Reprodução
Raí comemora título pelo Paris Saint Germain || Créditos: Reprodução

Raí ganhou o mundo e, principalmente, a França. Saindo do São Paulo, ele foi jogar no Paris Saint Germain, onde jogou mais de cinco temporadas, ganhou muitos títulos e uma despedida emocionante com toda a torcida mostrando placas em verde e amarelo e cantando “Aquarela do Brasil”.

4 – Dividir para somar

Raí e Leonardo, amigos e parceiros na Fundação gol de Letra  || Créditos: Reprodução
Raí e Leonardo, amigos e parceiros na Fundação gol de Letra || Créditos: Reprodução

Em 1998, depois de muitas conquistas e no fim de sua carreira como atleta, Rai se uniu ao amigo Leonardo para criar a Fundação Gol de Letra. A ONG atua na educação de crianças e jovens carentes e mantém sedes em São Paulo e Rio de Janeiro.

5 – Investindo em arte

Cinesala: novo negócio de Raí  ||  Créditos: Reprodução
Cinesala: novo negócio de Raí || Créditos: Reprodução

Dos campos para a sétima arte. No ano passado, Raí se tornou um dos sócios do Cinesala, em Pinheiros, em São Paulo. A proposta é retomar o cinema de rua e espalhar esse conceito para outros bairros e cidades.

Você também pode gostar