Occupy Matarazzo! Os preparativos para a invasão do antigo hospital

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Planta geral do Hospital Matarazzo, tribo indiana Warli pintando o seu espaço, parte de obra de Maria Neponucemo, instalação de Kenny Sharf e obra de Rochelle Costi em construção

 

Glamurama foi conferir de perto os preparativos para a mostra “Made by… Feito por Brasileiros”, no antigo Hospital Matarazzo, na região da Paulista, em São Paulo. Serão 100 artistas, 50 brasileiros e 50 estrangeiros, com direção artística do francês Marc Pottier, que vão invadir o espaço, fechado por 20 anos. Todas as obras são “site especifc”, feitas especialmente para o local. Entre os nomes nacionais estão Janaina Tschäpe, que vai criar afrescos para o local, Laura Vinci, em projeto com música de José Miguel Wisnik, Vik Muniz, Tunga, Márcia Xavier, Dora Longo Bahia e outros dos maiores destaques de nossa arte. O que Pottier chama de “casamento” entre artistas estrangeiros e nacionais também vai acontecer, como no caso da tribo indiana Warli, que vai dividir um corredor com o coletivo brasileiro Caligrapixo. Também entre os estrangeiros, está o americano Kenny Sharf, com uma instalação pop de objetos reutilizados, e o mexicano Héctor Zamora, que jogou vasos da varanda do prédio, para se espatifarem no pátio interno. Nem mesmo as árvores do local escaparam, participando de obras de artistas como os franceses Myriam Mechita e Jean-Luc Favéro.

A exposição abre para o público no dia 9 de setembro e termina no dia 12 de outubro. Antes disso, uma festa para 800 pessoas promete bombar ainda mais o lugar, no dia 5.  No dia 2 de setembro, rola um piquenique por lá, para imprensa, galeristas e artistas, como show de Fafá de Belém na antiga capela do hospital, que será tomada por instalação da portuguesa Joana Vasconcelos. Uma verdadeira cidade das artes, presente do empresário francês Alexandre Allard, que comprou o local para construir por lá um hotel, centro de criatividade e centro comercial. Mas isso jé é outra história…

Aperte o play e confira um vídeo da exposição em construção, com depoimentos de Allard, Pottier e dois dos artistas envolvidos no projeto: a brasileira Rochelle Costi e o inglês Douglas White.

Você também pode gostar
Solidão Pandemia

Depois da tempestade

O restaurante que eu frequentava antes da pandemia reabriu. Esteve fechado por meses, e eu o tinha como…