No ar como a ciumenta-mór em ‘Segundo Sol’, Roberta Rodrigues revela que Doralice ainda vai dar o que falar

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Roberta Rodrigues como Doralice, em “Segundo Sol” || Créditos: Divulgação/Rede Globo

O ciúme invadiu a casa da família brasileira nos últimos meses com a estressadíssima Doralice, personagem de Roberta Rodrigues em “Segundo Sol”. Na trama, que entrou em sua reta final, a atriz e cantora, 35 anos, faz par romântico com Ionan, personagem de Armando Babaioff, em uma relação marcada pelo ciúme doentio dela. Em entrevista ao Glamurama, Roberta faz uma análise sobre a questão e fala sobre o tanto que o papel de Doralice mexeu não só com ela, mas com muitos brasileiros.

Glamurama: Como será o fim de Doralice em “Segundo Sol”?
Roberta Rodrigues: “Doralice surpreende porque ela resolve viver a vida dela, esquece do Ionan (Armando Babaioff) e se apaixona por um francês (Raffaele Casuccio), só que isso vai ocasionar várias reviravoltas. Esse cara chega para mostrar a ela o que é uma relação saudável. Ionan quando descobre que a perdeu vai enlouquecer. Então pode ser que Doralice e Ionan acabem ficando juntos depois de tudo isso.”

Glamurama: Doralice já chegou ao ponto de contratar uma mulher para dar em cima de seu marido para descobrir se ele a traía. Qual foi a maior loucura que você já fez por ciúme?
Roberta Rodrigues: “Tive uma relação que me deixou muito tempo sem dormir. Sabia que a pessoa me traía e não atendia minhas ligações… Deitar a cabeça no travesseiro e não conseguir dormir porque seu parceiro saiu e você sabe que ele está te traindo não é saudável, você não fica em paz, era uma tortura. É preciso colocar a qualidade de vida em primeiro lugar, e infelizmente ainda tem muita gente vivendo assim.”

Glamurama: Qual feedback tem recebido nas ruas?
Roberta Rodrigues: “Muitos homens me param para falar: ‘minha mulher é assim, ela me bate, tem ataques de ciúmes’, e o pior de tudo é que as pessoas acham engraçado mas não se pode rir disso, é um caso que pede uma atenção maior. Eu sempre converso com esses homens e digo que mulheres que têm esse tipo de atitude precisam de ajuda. É impressionante a quantidade de pessoas que têm relacionamentos abusivos e o que me deixa bem triste é que, quando isso vem da mulher ela é considerada chata e não abusiva, diferente de quando vem do homem.”

Doralice (Roberta Rodrigues) e Armando Babaioff (Ionan) || Créditos: Divulgação/Rede Globo

Glamurama: Como distinguir um ciúme saudável de um fora do controle?
Roberta Rodrigues: “O ciúme saudável é aquele que todo mundo sente um pouco, que é uma coisinha no coração, aí tá ótimo, mas quando chega no nível de falta de respeito ou aprisionamento, passa a ser uma doença. A pessoa muito ciumenta não consegue relaxar, fica o tempo todo criando fantasias na cabeça e deve ser tratada com um médico. Tem muita gente por aí morrendo por ter um ciúme descontrolado.”

Glamurama: Acredita que traição tem perdão?
Roberta Rodrigues: “Sentimento é algo que não tem como explicar – nem mesmo a ciência consegue -, é algo muito divino. Todo mundo erra, somos seres humanos e estamos propensos a erros e a escolhas erradas. Quando duas pessoas passam pela traição e decidem realmente ficar juntas e se respeitar, acho que vale perdoar. Conheço casais que passaram por isso e superaram ao descobrir que o essencial é o respeito. Se deu certo depois de uma traição, é porque ela serviu como um alerta de que tinha algo errado. Já passei por muitas e sou uma pessoa que não consegue superar – isso é uma m#$%. Até perdoo, mas aquilo me deixa triste e a relação não é a mesma. Com o Gui (Guilherme Guimarães, marido de Roberta) nossa relação é de muito respeito, sempre falei pra ele: se um dia você se interessar por outra pessoa, me fala. Melhor sofrer com a verdade do que com uma mentira. Eu não consigo digerir uma traição.”

Glamurama: Você é muito ciumenta? 
Roberta Rodrigues:“Tenho ciumes uma vez ao mês, sou muito relaxada, mas depois da Doralice passei a me policiar e a me colocar no lugar do Gui. Estamos casados há quatro anos e juntos há sete. Todas as minhas relações anteriores foram indiretamente abusivas, então quando conheci um cara totalmente mente aberta, de um respeito incrível, que nunca alterou a voz, falei: é ele, meu príncipe’. Temos relacionamentos abusivos o tempo todo e nem percebemos, e com ele me descobri mulher. Um não é dono do outro, a gente só escolheu contar a nossa historia juntos. Muita gente fala que isso é impossível, mas não é.”

https://www.instagram.com/p/BnzZHNRlJJS/?taken-by=rorodrigues

Glamurama: Conte-nos alguma curiosidade dos bastidores de “Segundo Sol”.
Roberta Rodrigues: “Às vezes gravamos algumas cenas falsas, temos essa mania, e uma vez a Gio [Antonelli] estava gravando com André Dias, o Groa, e quando a equipe menos esperava os dois começaram a se ‘pegar’. Todo mundo ficou em choque e disse: que que é isso? (risos). Também houve uma vez que eu e Ionan [Armando Babaioff] estávamos gravando uma cena na cama quando Maria de Médicis, nossa diretora, deu o maior susto na gente. É um elenco maravilhoso que vai deixar saudade!”

Glamurama: Já tem outro projeto engatado?
Roberta Rodrigues: “Sim, começo a filmar ao lado de Mariana Ximenes o filme ‘Louca’, que fala de ciúmes. São mulheres que se juntam para se vingar de seus maridos. Também vou fazer um programa de Youtube com Luana Xavier.”

Glamurama: E musicalmente? 
Roberta Rodrigues: “Esse ano me dediquei integralmente à novela – tinha acabado de ser mãe e no tempo livre queria ficar com minha filha (Linda Flor, 1 ano e sete meses) -, mas agora vou voltar para o grupo Linda Flor, com Roberta Santiago, Cintia Rosa e Sabrina Rosa.” (Por Julia Moura)

 

Você também pode gostar