a

Nathália Timberg se emociona ao receber homenagem no Rio

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
a
Nathália Timberg entre Cláudia Raia e Marcos Caruso, no Prêmio Cesgranrio de Teatro || Crédito: Glamurama

As lágrimas não foram contidas por Nathália Timberg, a grande homenageada da noite do Prêmio Cesgranrio de Teatro, que rolou nessa segunda-feira no Copacabana Palace, no Rio. Ao ser chamada ao palco por Cláudia Raia e Marcos Caruso após a exibição de um vídeo de Bibi Ferreira enaltecendo a atriz, principalmente por sua “bela voz”, Nathália se emocionou e levou alguns minutos para conseguir se recompor.

“Eu fui abençoada quando cheguei da França e fui parar nas mãos de Bibi Ferreira. Na minha vida vim somando experiências com muita gente, então tenho que agradecer a cada um. A cada um devo essa coisa toda que está explodindo em mim agora”, disse.

No vídeo exibido durante o evento, ela ainda relembrou momentos de sua carreira: “O que levou a fazer teatro? A necessidade de discutir o homem. Eu não sou atriz por ter que me exibir. Sou atriz apesar de ter que me exibir”.

A relação de longa data com Wolf Maya também não foi esquecida: “Ele [Wolf] faz parte da minha vida. Nos conhecemos quando ele tinha uns 20 e poucos anos e eu já era uma senhora. Esse encontro mudou a minha vida. Nós tínhamos o sonho de ter um teatro e agora nós fizemos um teatro”, disse Nathália em referência ao Teatro Nathalia Timberg, que será inaugurado na próxima segunda-feira, na Barra da Tijuca.

Aos 86 anos, ela deixou claro que não pensa em se aposentar e arrancou risos da plateia. “Eu tenho muitos projetos ainda. Estou só no meio do meu caminho. É o tempo que não me deixa mais estar no meio. Não estou mais no meio da minha vida, mas estou no meio do caminho”.

*

Bibi Ferreira também foi ovacionada. Aos 93 anos, ao subir no palco, provou que seu humor afiado continua com tudo. “Sempre fui alérgica a microfones. Eles mexem sozinhos”, disse ao tentar arrumar a altura do aparelho”. Ela ainda elogiou Marcos Caruso e Cláudia Raia, a quem a chamou de sua “filha no teatro”. Ao ter que anunciar o Melhor Espetáculo de 2015, Bibi disse que não conseguia ler a letra do envelope, arrancando mais risos da plateia. “Krum” foi a peça vencedora.

*

Quem também estava cheio de graça foi Ney Latorraca. Ao subir ao palco para apresentar o vencedor da categoria Melhor Ator, ele brincou que precisava tirar uma selfie: “Se tem uma coisa que amo é tirar selfies e celular tocando no meio do espetáculo”. Ao chamar o vencedor, o ator Bruce Gomlevsky, por “Uma Ilíada”, ele fez questão de registrar o momento em seu celular.

*

Na saída, ao se deparar com fãs enlouquecidos na porta do Copacabana Palace, Ney levou o troféu simpatia. Ele ficou mais de dez minutos tirando selfies com todos e só entrou no carro depois de ter encerrado os pedidos, e foi muito aplaudido.

*

Os que saíram de cena para sempre também receberam uma salva de palmas calorosa na premiação. Entre eles, Cláudio Marzo, Antonio Abujamra, Elias Gleizer, Betty Lago e Yoná Magalhães. Além de Bárbara Heliodora e Marília Pêra, as mais aplaudidas. (Por Denise Meira do Amaral)

Você também pode gostar