Mostra reúne quatro séculos de arte com coleção pessoal de Airton Queiroz

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
image7
Abertura da exposição na Universidade de Fortaleza || Crédito: Arquivo Glamurama

Imagine um colecionador apaixonado que adquiriu o melhor da arte brasileira e estrangeira ao longo de 50 anos e, agora, disponibiliza parte de seu acervo para visitação pública. Essa é a Coleção Airton Queiroz, que entra em cartaz nesta quinta na Unifor – Universidade de Fortaleza. E Glamurama foi conferir em primeira mão.

São 252 obras que passeiam desde o século 17 até os dias atuais. Tem Frans Post, Albert Eckhout, Renoir, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Salvador Dalí, Marc Chagall, Fernando Botero, Lygia Clark, Adriana Varejão – a lista é longa. Tudo vem da coleção pessoal de Airton, que é presidente da Fundação Edson Queiroz e foi comprando todas as obras de maneira intuitiva, sem ajuda de especialistas – tem cerca de 700 quadros nas paredes da sua casa em Fortaleza e outra parte em um sítio. “O mais impressionante é que ele não tem qualquer Renoir, ele tem um ótimo Renoir. Di Cavalcanti tem altos e baixos, ele só tem os altos”, pontua José Roberto Teixeira Leite, um dos curadores ao lado de Max Perlingeiro e Fábio Magalhães.

Na movimentada noite de abertura, além do colecionador, que fez uma rápida aparição e cumprimentou os presentes, marcaram presença o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PSB), e o governador Camilo Santana (PT). A mostra fica em cartaz na Unifor até 18 de dezembro.

Você também pode gostar