Michelle e Barack Obama
Foto: Anthony Quintano from Westminster, via Wikimedia Commons

Michelle e Barack Obama ‘vendem’ direito às suas vozes para subsidiária da Amazon

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

Respectivamente ex-primeira-dama e ex-presidente dos Estados Unidos, Michelle e Barack Obama agora são “funcionários” de Jeff Bezos, o terceiro homem mais rico do mundo (depois do francês Bernard Arnault e de Elon Musk, o número um do planeta no quesito riqueza). É que o casal presidencial do país entre 2009 e 2017 acaba de assinar um contrato com o Audible, um serviço de audiobooks comprado em 2008, por US$ 300 milhões (R$ 1,56 bilhão), pela Amazon, da qual Bezos é o ex-CEO, fundador, maior acionista e presidente do conselho de administração.

O acordo prevê, basicamente, que os Obamas a partir de agora só poderão comercializar suas vozes pelo Audible e, sobretudo, no que diz respeito às narrações em áudio dos livros que publicarem daqui pra frente. E, em troca dessa exclusividade, receberão da plataforma nada menos que US$ 20 milhões (R$ 103,9 milhões). Isso em parte explica o porquê de Michelle e Barack não terem renovado com o Spotify, conforme Glamurama adiantou em abril, uma vez que o serviço de streaming sueco até então detinha o direito sobre os áudios do dois.

Assim como em todos os contratos anteriores que fecharam, sua nova parceria com o Audible foi firmada por meio da produtora Higher Ground, o veículo usado pelos Obamas para lucrarem com a produção de conteúdo para gigantes mediatech como a Netflix e afins. Desde que deixaram a Casa Branca, aliás, eles faturaram perto de US$ 250 milhões (R$ 1,3 bilhão) – mais do que quaisquer outros ex-moradores da residência oficial embolsaram depois que a deixaram – com esses serviços prestados para diversos meios, e que em geral fazem sucesso com o público.

Você também pode gostar