Terry, Frances McDormand, e o Oscar da atriz || Créditos: Getty Images/Reprodução

Homem que roubou o Oscar de Frances McDormand vai ter que acertar contas com a Academia

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Terry, Frances McDormand, e o Oscar da atriz || Créditos: Getty Images/Reprodução

Preso na madrugada da última segunda-feira pelo roubo da estatueta de Melhor Atriz que Frances McDormand tinha levado horas antes na cerimônia do Oscar, o americano Terry Bryant não pode contar com o perdão da estrela de “Três Anúncios Para Um Crime” para voltar a ser um homem livre, apesar da estatueta já ter sido recuperada. É que parece que ela até apelou para a polícia de Los Angeles para que Terry fosse solto imediatamente sem a necessidade de pagar os US$ 20 mil (R$ 64,6 mil) estipulados para sua fiança, mas um detalhe “técnico” a impede de ter qualquer autoridade no caso.

Isso porque o Oscar que a atriz de 60 anos ganhou no domingo na verdade não lhe pertence, já que todos os prêmios entregues pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, responsável pela organização da maior premiação do cinema, são “emprestados” para aqueles que os recebem, e por regra devem ser devolvidos depois da morte deles. E a entidade raramente facilita as coisas para quem se mete em seu caminho.

Em resumo, Frances não é a verdadeira vítima do crime – a Academia é – e a boa vontade dela não faz nenhuma diferença para as autoridades de LA que cuidam do imbróglio. Inclusive porque Terry, que também atende por DJ Matari, não é estranho às confusões hollywoodianas: no passado ele já causou como penetra em edições dos SAG Awards e festas da MTV, além de forçar a barra para tirar selfies com famosos como Beyoncé Knowles e até se passar por repórter do “Access Hollywood”, um programa sobre showbiz da TV americana, durante uma transmissão online em suas redes sociais. (Por Anderson Antunes)

Você também pode gostar
Solidão Pandemia

Depois da tempestade

O restaurante que eu frequentava antes da pandemia reabriu. Esteve fechado por meses, e eu o tinha como…