Grupo Laces reforça o vínculo e o afeto com os cliente durante a pandemia com o programa de benefícios “ADPTOS”

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Grupo Laces reforça o vínculo e afeto com suas cliente e cria “ADPTOS” || Créditos: Divulgação

O grupo Laces encontrou na relação de confiança de seus mais de 30 anos de história com seus clientes, a viabilização de receitas de serviços, mesmo com o fechamento das unidades de seus salões na fase emergencial, durante os meses de março e abril. O programa “ADPTOS” organizou uma abordagem que pretendia oferecer vantagens para as clientes tradicionais dos salões que compram cronogramas de tratamentos e serviços ao longo do ano, visando a antecipação desta compra, com benefícios que variam de descontos a bônus de serviços.

A grande surpresa foi que, em mais de 90% das conversões, as clientes pouco se interessavam pelo benefício racional, mas queriam de alguma maneira participar e contribuir com este momento da marca para maximizar a manutenção dos empregos e do negócio. “Me senti sendo abraçada pela minha cliente, pela forma como recebeu meu telefonema completamente amorosa e solidária com o momento”, conta Alessandra Andrade, colaboradora do Grupo há nove anos. Isso só foi possível devido a confiança das clientes na marca e o elevado conhecimento das necessidades de cada cliente. “Receber o conforto dos tratamentos, com orientação dos profissionais do Laces, mesmo durante o período de quarentena foi de alguma maneira um alento. Mas o que mais me fez bem, neste momento, foi me sentir contribuindo com o Laces, cujos valores são os mesmos em que acredito”, explica Thais Andreoli, cliente Laces que aderiu ao programa.

“A maneira que estamos vivendo na pandemia inibe qualquer ideia de planejamento, pois a necessidade de adaptação é praticamente semanal. As marcas que possuem valores explícitos verticalizados na sua comunicação, operação, retidão com sua história e compromisso social, conseguem maior conversão em suas mudanças imediatistas”, comenta Itamar Cechetto, CEO do Grupo Laces. O Grupo Laces, mesmo sendo uma empresa de médio porte, conseguiu preservar 95% das suas posições de trabalho, tanto na primeira, quanto na segunda onda. O mais interessante ainda é que a empresa optou por não cancelar nenhum projeto social, nem ambiental, apenas adaptou os valores a realidade de caixa do momento.

Você também pode gostar
Solidão Pandemia

Depois da tempestade

O restaurante que eu frequentava antes da pandemia reabriu. Esteve fechado por meses, e eu o tinha como…