Glamurama entrega três motivos que provam porque o Grammy errou ao esnobar The Weeknd

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
The Weeknd / Crédito: Divulgação

No início de 2020, The Weeknd lançou o álbum “After Hours”, que depois de 10 meses segue conquistando marcas incríveis no mundo da música. Mas, para a surpresa dos fãs, críticos e outros artistas, o cantor foi esnobado pelo Grammy 2021 e seu mais recente trabalho não recebeu indicação ao prêmio. Logo de cara, a internet reagiu ao anuncio e acusou a organização de racista por ter ignorado um dos maiores artistas negros da atualidade. Vale lembrar que em edições passadas, nomes como Beyoncé, Frank Ocean e Kendrick Lamar perderam prêmios, nos quais eram favoritos, para artistas brancos. O “TMZ” foi mais fundo no assunto e revelou que os produtores da premiação queriam uma performance exclusiva de The Weeknd no show, só que ele já tinha sido anunciado como headliner do Halftime Show do Super Bowl de 2021. Nessa teoria, o cantor teria sido forçado a escolher entre um e outro e, ao optar pelo Super Bowl, não entrou para a lista dos indicados.

Verdade ou mentira, o fato é que o cantor ficou realmente de fora, mas não deixou barato. Nas redes sociais, ele falou sobre o assunto da maneira mais direta possível. “O Grammy continua corrupto. Vocês devem transparência a mim, aos meus fãs e à indústria”, escreveu. Pouco tempo depois, o Grammy rebateu as críticas, mas não tem como negar: a decisão foi sim injusta e nós comprovamos isso em três motivos. Acompanhe.

A Música Mais Escutada

Em um ranking divulgado nesta terça-feira, o hit ‘Blindind Lights’ gerou 1,6 bilhão de streams no Spotify e ganhou o posto de música mais tocada no mundo. A canção é o principal single de After Hours, que ficou como o segundo disco mais escutado do ano, atrás apenas de YHLQMDLG, do rapper porto-riquenho Bad Bunny. Na lista dos artistas mais escutados do ano, The Weeknd aparece na quinta colocação.

Recorde na Billboard

Neste ano, o artista canadense acumulou mais de 28 semanas consecutivas entre os cinco mais da Billboard Hot 100. Isto significa que “Blinding Lights” passa a ser a música que permaneceu por mais tempo no Top 5 em toda a história. The Weeknd deixou para trás Ed Sheeran (“Shape Of You”) e The Chainsmokers feat. Halsey (“Closer”), que alcançaram a marca de 27 semanas.

Como se já não bastassem outros recordes, em agosto “Blinding Lights” chegou a 19 semanas no topo da Radio Songs, também da Billboard. Esta parada contabiliza a popularidade das músicas em todas as rádios dos Estados Unidos. Com isso, The Weeknd quebrou um recorde de quase 22 anos da banda Goo Goo Dolls, que esteve em 1º lugar por 18 semanas com a música “Iris” de 1998.

Álbum sombrio, nostálgico e cheio de reflexão

The Weeknd retornou neste ano com uma sonoridade diferente de tudo o que já havia feito. Algumas músicas remetem a filmes de terror/ficção, com um ar um pouco sombrio. Além disso, o cantor aposta forte na sonoridade oitentista no disco todo, especialmente em ‘Blinding Lights’. O álbum também conta com a participação do cantor australiano Kevin Parker (Tame Impala) em “Repeat After Me (Interlude)” e do músico eletrônico Daniel Lopatin (Oneohtrix Point Never) em “Scared to Live”. Vale a pena escutar todas as faixas, mas já avisamos: é difícil escolher uma preferida.

Você também pode gostar