Experts do SENAI CETIQT avisam: moda brasileira pode ganhar o mundo

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Em sentido horário: Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria, Leonardo Mendes, diretor técnico do SENAI CETIQT, e Flávio Sabrá, gerente de Inovação, Estudos e Pesquisas do SENAI CETIQT

Desde que começou a ganhar forma, há cerca de seis meses, o projeto Brasil Fashion pretendia ser uma vitrine para jovens talentos da moda brasileira. “Se eles não tiverem oportunidade de mostrar seus trabalhos em grandes produções como esta, não serão reconhecidos e, assim, a moda brasileira não será reconhecida”, explica Leonardo Mendes, diretor técnico do Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil do SENAI.

Para dar vida ao projeto, foram selecionados nove jovens formados ou ainda em formação nas instituições do SENAI CETIQT de todo Brasil para criar minicoleções e desfiles sob a supervisão do trio de estilistas Alexandre Herchcovitch, Ronaldo Fraga e Lino Villaventura. “Trabalho há 28 anos no setor, já estive no lugar desses jovens e sei o quanto esse contato com grandes estilistas é importante. Lino, Ronaldo e Alexandre são profissionais com históricos de trabalho, esforço e construção de identidade muito fortes, então têm muito o que ensinar”, afirma Flávio Sabrá, gerente de Inovação, Estudos e Pesquisas do SENAI CETIQT.

O resultado de três meses de trabalho foi apresentado nessa quinta-feira, em um desfile estrelado em Belo Horizonte. Por lá, passaram top models como Izabel Goulart, Ana Claudia Michels e Carol Trentini, vários estilistas e experts como Costanza Pascolato e Gloria Kalil. Gigantes da indústria nacional também marcaram presença, como o presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade, que defendeu, durante um papo com o Glamurama, que a moda brasileira tem tudo para ganhar o mundo. “É um mercado fantástico, um verdadeiro espetáculo que atrai todo tipo de gente. E temos grandes talentos capazes de fazer com que a nossa moda ultrapasse as fronteiras.”

No que depender do SENAI CETIQT, não vão faltar iniciativas. “No ano que vem vai ter o WorldSkills em São Paulo. Estamos pensando em captar recursos e levar o Brasil Fashion para a competição, dessa vez com modelos internacionais. Não ia ser incrível?”, finaliza Leonardo Mendes.

Você também pode gostar