Exclusivo! Cauã Reymond fala ao Glamurama sobre fama e Sofia

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

Glamurama teve um encontro restrito com Cauã Reymond nesta segunda-feira, no hotel Pestana, em Copacabana, no Rio, como parte da divulgação do filme “Alemão”, no qual ele interpreta um traficante do complexo. Comentamos que ele é sempre muito discreto e educado, mesmo quando questionado sobre assuntos delicados de sua vida pessoal. E perguntamos se é frustrante ver, apesar dessa postura, sua vida transformada em novela, com direito a mocinha e bandida [com os rumores de que ele teria trocado Grazi Massafera por Isis Valverde durante as gravações de “Amores Roubados” e toda comoção que isso gerou]. “Já me frustrei, mas me trazia uma sensação de paz saber que aquilo não era verdade. Quando você se acalma, pensa: ‘poxa, beleza, não me identifico com isso’.”

* Sem tocar no nome de Isis ou comparar com os bastidores da tal minissérie, ele soltou: “Precisava ter um outra novela como ‘Celebridade’, na qual todo mundo ficava com todo mundo, era uma pegação e gerava capa de revista todo dia.”

ÔNUS E BÔNUS DA FAMA

“Tenho 12 anos de showbiz. Não sei mais como é não ser famoso. Tem uma hora em que não existe certo ou errado. Existe o presente. Não tem isso de regras do jogo. Você está no jogo, e há muitos anos. Acho engraçado essa coisa de antes da fama… Um cara na academia me contou que tinha levado o filho para andar de ônibus pela primeira vez. Fiquei com vontade. Quem sabe eu sento na janela e ninguém me saca. Tem lugares que eu tenho certeza que posso ir tranquilo e de repente só penso em como sair dali, procurando um olhar amigo, alguém que me entenda.”

SOFIA, A MENINA DOS OLHOS 

O papo fica mais sério quando chega em Sofia, filha de Cauã com a ex-mulher, Grazi. “As leis deveriam ser mais  firmes para proteger a criança. Entendo que a criança fique famosa quando os pais jogam esse jogo, utilizam a criança. Não tenho crítica se posam para a capa da revista tipo ‘somos uma família feliz’. É uma escolha dos pais. Mas nunca foi a minha escolha. O que eu vou fazer? Não levar minha filha à praia? Eu ia à praia, ela tem que ir também, comer areia, ter dor de barriga… É muito delicado. No auge da confusão, tinha dois paparazzi me seguindo. E eu falei: ‘Pede pra sua editora não dar foto do rosto da minha filha?’ Um atendeu, o outro não. Eu lembro.” (Por Michelle Licory)

Você também pode gostar