Joyce e Fernando Henrique Cardoso || Créditos: Reprodução

Em live com Joyce, Fernando Henrique Cardoso afirma: “Bolsonaro é menor do que a cadeira de presidente”

0 Compartilhamentos
1
0
0
0
0
0
Joyce e Fernando Henrique Cardoso || Créditos: Reprodução

Fernando Henrique Cardoso foi o convidado da live de Joyce Pascowitch, nessa quinta-feira, e a conversa foi das melhores com confissões sobre o passado, presente e futuro do nosso país, além do posicionamento de FHC sobre o governo de Jair Bolsonaro e temas atuais como o coronavírus e a Democracia. Para o ex-presidente, “Bolsonaro é menor do que a cadeira de presidente”, que ele não sabe o que é fascismo e que para governar é preciso entender o jogo político, o Brasil, o que acontece em o mundo e, ao mesmo tempo, ter espírito de tolerância. FHC também questionou a possibilidade de Luciano Huck ser candidato à presidência da República: “Não sei se chegou a hora de mudar de geração”, disse durante a live. Ainda sobre política, ele explicou que o Brasil que governava era muito diferente do atual, principalmente por conta da internet em que as pessoas atualmente se conectam e reagem muito mais rápido aos acontecimentos.

FHC também refletiu sobre as suas escolhas nos seus mandatos, falou de seus ministros e de como agiria neste momento tão difícil com a pandemia do novo coronavírus: “Você precisa ter ao seu lado pessoas competentes e ouvi-las. Não pode no meio de um problema desse ter três Ministros da Saúde. A população está em dúvida, tem que ter algo coordenado que conduz o País. Não jogo pedra em quem está no governo, pois sei que não é fácil. Em uma pandemia é preciso ter bom senso”, explicou.

Claro que curiosidades e histórias quase nunca contadas também vieram à tona como as crenças e o passado católico, o medo de morrer, além do dia em que ele foi conhecer a Rainha Elizabeth II e teve que andar na charrete da royal sem poder tocar nela e como conheceu o seu lado “dona de casa”. Joyce também questionou as mulheres mais interessantes que Fernando Henrique conheceu durante o tempo em que presidiu o Brasil e ele revelou: “Não dei muita “bola” para a Angela Merkel”, contou aos risos. Para conferir o papo completo, só dar play.

Você também pode gostar