a

Diretora publica resposta após sofrer insultos por defender soberania sobre o corpo

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

 

a
Bruna Linzmeyer, Barbara Paz, Julia Lemmertz e Alexandre Borges em cena do vídeo “Meu Corpo, Minhas Regras – Olmo e A Gaivota” || Crédito: Reprodução

Diretora do documentário “Olmo e a Gaivota” – que expõe os dilemas reais de uma gravidez -, Petra Costa publicou um vídeo em resposta às agressões verbais que recebeu em sua página e na do filme no Facebook após o discurso que fez na premiação do Festival do Rio. Na ocasião, a diretora dedicou o prêmio às mulheres no desejo que nenhuma delas seja vítima do machismo, físico ou verbal, e que toda mulher possa ter soberania sobre o próprio corpo.

“Comentários como ‘vadia, se não quer ter filho fecha as pernas’ inundaram a nossa página. Aqui vai a nossa resposta”, escreveu a diretora nessa terça-feira publicando o vídeo “Meu Corpo, Minhas Regras – Olmo e A Gaivota”. Nele, Bruna Linzmeyer, Barbara Paz, Johnny Massaro, Alexandre Borges, Julia Lemmertz, Nanda Costa, Johnny Massaro, Nando Alves Pinto, Ricardo Targino, Mumu, Gus Machado e Julia Bernat emprestam seus corpos e suas vozes para depoimentos engajados como: “Não é impressionante que, apesar de todo ser humano existir através da gravidez, é tão raro ver um retrato no cinema ou na literatura que investigue o que se passa na cabeça de uma mulher nesses nove meses?”; “Quem são as pessoas que fazem os filmes e escrevem os livros? Me disseram que só em 30% dos filmes as mulheres falam. E quando falam, falam sobre homens ou com homens. Ou gemem”; “Elas não têm nome, não têm crise, não têm história, não têm câmera, não têm foco” e ainda: “De repente surge um filho. E ai de você se reclamar”. Aperte o play para conferir.

*

O “Olmo e a Gaivota” levou o prêmio de melhor documentário no Festival do Rio e acompanha um casal de atores do Théâtre du Soleil, Olivia e Serge, no processo da gravidez da atriz. O filme estreia nesta quinta-feira nos cinemas.

 

Você também pode gostar