Dia Mundial do Veganismo: Nutricionista entrega um guia completo sobre o estilo de vida que cresce com a ajuda de famosos

23 Compartilhamentos
22
0
1
0
0
0
Joaquin Phoenix, Rooney Mara, Xuxa e Paul McCartney / Crédito: Reprodução

Neste domingo, é comemorado o Dia Mundial do Veganismo ou Dia Mundial do Vegano, que relembra os frequentes protestos contra o consumo de produtos de origem animal. A data foi estabelecida em 1994 por Louise Wallis, então presidente da Vegan Society da Inglaterra, instituição vegana mais antiga do mundo e que oficializou o termo ‘vegano’.

Esse estilo de vida, que tem sido cada vez mais adotado ao redor do mundo, consiste em não consumir nenhum tipo de produto ou alimento de origem animal ou seus derivados. Nesse time, grandes celebridades são defensores da causa, como Joaquin Phoenix, Rooney Mara, Paul e Stella McCartney, Natalie Portman, Brad Pitt, Xuxa, Yasmin Brunet e Isabelle Drummond.

Mas, afinal, o que é ser vegano? Quais são os benefícios? Qual a diferença entre veganos e vegetarianos? E o mais importante: se você tem interesse, qual é o processo para começar a entrar nesse estilo de vida? Para responder a todas essas perguntas, entrevistamos a nutricionista Dani Caparros, vegetariana, defensora da alimentação plant based e que usa as redes sociais para desmistificar esse estilo de vida.

A seguir, confira o bate-papo, e inspire-se. (por Jaqueline Cornacchioni)

Vegano, Vegetariano e Vegetariano estrito: quais as diferenças?

Há quem acredite que Veganos e Vegetarianos compartilhem o mesmo estilo de vida. E, apesar de ambos não colocarem carne no prato, existem grandes diferenças na prática. Além disso, também existe o termo ‘vegetariano estrito’, que fica entre os dois estilos de alimentação já citados acima.

“Vegetariano é a pessoa que exclui apenas as carnes do prato. Vegano tem relação com estilo de vida: além de carnes, eles não consomem qualquer produto, peça ou serviço em que o animal tenha sido explorado. Assim, o vegano não usa couro, não utiliza produtos que tenham sido testados em animais, além de não consumir nada de origem animal. Há ainda o vegetariano estrito, que apenas não consome nada de origem animal na alimentação: nem carnes, nem ovos, nem laticínios, nem mel”, explica Dani Caparros, que se especializou em nutrição vegetariana após resolver excluir a carne da alimentação por ser mais saudável e justo com os animais.

Para entender a diferença. recentemente, Sasha Meneghel revelou em uma entrevista que se denomina vegetariana estrita, ao contrário da mãe, Xuxa, que já é vegana. Ao ser perguntada sobre o assunto, ela comentou: “Não podemos ver isso como uma dieta, porque isso é algo que costumamos pegar raiva. Tem que ver isso como uma escolha. E, a partir disso, vai se permitindo. Tenha noção daquilo que você está ingerindo e o que vai causar para o seu corpo e meio ambiente”, disse Sasha.

Os benefícios de retirar produtos de origem animal da dieta

Para muitos, uma alimentação sem carne é vista como incompleta. Mas a realidade, de acordo com a nutricionista, é bem diferente. “Os benefícios são diversos, para o meio ambiente, para os animais e para nossa saúde, como: maior consumo de antioxidantes e nutrientes anti-inflamatórios, prevenção da obesidade, prevenção de diversos tipos de câncer, doenças cardiovasculares, diabetes. Pesquisas indicam que os vegetarianos tem níveis ótimos de colesterol e portanto menos doenças cardiovasculares, menores níveis de pressão arterial, menor IMC dentre outros”, começa.

E, para manter a saúde em dia, é necessário consumir todos os tipos de nutrientes e manter uma dieta balanceada. “Assim como uma dieta de quem come carne, a dieta vegetariana/vegana deve também conter grãos integrais, sementes, frutas, verduras, legumes, leguminosas (conhecidas como feijões). As leguminosas é que serão a fonte de proteína da dieta em substituição às carnes. Alimentos industrializados devem ser evitados em qualquer tipo de dieta”, explica a profissional.

Proteínas e Vitamina B12: Onde encontrar esses nutrientes que podem faltar no organismo com dietas sem proteína animal?

Ao contrário do que se pensa, é possível  encontrar proteínas em diversos outros alimentos além da carne e de produtos de origem animal. “A maior fonte de proteína na dieta vegetariana são as leguminosas (feijão, ervilha, tremoço, lentilha, fava, grão de bico, soja e alimentos derivados desse ou feitos com esses como tofu, tempeh, falafel, homus…). Vale lembrar que outros alimentos de origem vegetal também possuem proteínas mas em quantidades menores. As oleaginosas também possuem quantidade significativa de proteína, porém por apresentarem também muita gordura não podem servir como base da alimentação”, começa Dani Caparros.

“Já a Vitamina B12, no caso de ovolacto, lacto ou ovovegetarianos não há necessidade na teoria em suplementar, pois ela está presente nos ovos e também laticínios. No caso de vegetariano estrito ou vegano é obrigatória a suplementação de B12. Mas vale lembrar que muitas vezes a pessoa tem o hábito de consumir muita carne e ainda assim tem a vitamina B12 baixa quando dosada no sangue, isso porque ingerir B12 não significa absorver a vitamina”, conclui.

Movimento Plant Based

Nunca se ouviu tanto falar sobre alimentos ‘plant based’ como agora. Nesse estilo de vida, a dieta é baseada em verduras, legumes, frutas, grãos integrais, sementes, oleaginosas, leguminosas. Nos mercados, já é comum encontrar marcas especializadas, ou grandes empresas lançando a sua própria versão de produtos ‘plant-based’. Sobre isso, a nutricionista faz um alerta. “Produtos encontrados no supermercado empacotados, podem muitas vezes ser à base de vegetais, mas conter diversos aditivos químicos e grandes quantidades de gordura por serem industrializados (como por exemplo hamburgueres de plantas, frango de plantas…). Esses alimentos devem ser consumidos de forma esporádica e podem ajudar para quando a pessoa sentir necessidade de consumir um hambúrguer de carne bovina, por exemplo. Nesse caso, serve muito bem para substituir”, conta.

Ainda é tabu ser vegano?

Existe uma falsa impressão de que a carne dá mais força e sustância que os vegetais, o que ainda coloca o veganismo em posição de tabu social. “Os maiores mitos são com relação ao baixo consumo de proteína, o que não é verdade, uma vez que é possível encontrar esse nutriente em alimentos de origem vegetal, sendo necessário apenas fazer adequação nas quantidades. Outro grande mito é sobre o vegano ser fraco ou ter deficiências nutricionais, o que também é mentira. Se a dieta for bem equilibrada é possível atingir todos os nutrientes, com exceção da vitamina B12 que precisa ser suplementada”, revela.

Como se tornar vegano?

Se a matéria te inspirou e se tornar vegano está nos seus planos, saiba que é necessário, antes de tudo, respeitar o seu próprio tempo. No Brasil, um grande exemplo é Xuxa. A apresentadora e rainha dos baixinhos deixou de ser uma ‘gaúcha carnívora’, como ela mesma se considerava, para adotar o veganismo aos poucos. Em entrevista ao portal Metrópoles, ela comentou que o seu processo começou ainda quando criança: “Eu já nasci com intolerância ao leite e já não fazia boa digestão da carne, mas demorei um pouco por ser filha de gaúchos, que achavam que a gente tinha que comer carne para viver. Aos 11 anos eu comecei a parar e, aos 13, eu parei completamente de comer carne vermelha”, lembra a artista.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Vou ta numa live daqui a pouco no @domingoespetacular falando sobre veganismo. Vc é meu convidado! @santuario_das_fadas 📷 @bladmeneghel

Uma publicação compartilhada por Xuxa Meneghel (@xuxamenegheloficial) em

Aos poucos, Xuxa resolveu tirar outras carnes e alimentos de origem animal do prato. “Tirei por completo o sofrimento do meu prato. Fiquei enlouquecida com a possibilidade de confirmar e afirmar o meu amor pelos animais e não tê-los na minha alimentação. Eu fiquei muito melhor, minha pele melhorou muito… Eu tinha dores, tendinite.. Algumas bactérias animais são muito inflamatórias, então fez muita diferença”, desabafou.

Para a nutricionista Dani Caparros, a transição deve realmente ser feita sem pressão: “Se informe o máximo possível e procure atendimento especializado. Inicie uma transição para a dieta vegetariana e se mais para frente desejar: uma dieta vegetariana estrita ou vegana. Lembrando que tudo deve ser no tempo da pessoa e que ninguém pode e nem deve se sentir incomodado caso essa transição não esteja sendo tão fácil. Alguns conseguem facilmente mudar direto para uma dieta sem nada de origem animal e outras tem dificuldade até mesmo de retirar a carne. Não se sinta mal por isso”, terminou.

Time de estrelas

Para concluir a celebração da data, confira a nossa lista de celebridades declaradamente vegana.

[galeria]4733942[/galeria]