Dani Winits: “Quem disse que alguém é obrigado a sair do armário?”

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Dani Winits com o marido, Amaury Nunes

Danielle Winits é uma agente de atores que manipula um cliente gay para que ele não saia do armário e assim possa lucrar mais em “O Cachorro Riu Melhor”, em cartaz no Teatro dos Quatro, no Shopping da Gávea, no Rio. A comédia tem cenas de cama em que o casal vivido por Julio Rocha e Rainer Cadete [com quem Dani fez a novela “Amor à Vida”] fica nu, escondendo só o essencial com as mãos ou um travesseiro. O desfecho? Nada romântico ou politicamente correto, e sim “pra vender revista”.

* Ao final do espetáculo, fomos conversar com a atriz.  “Minha personagem é um tipo que ator conhece bem. Usei minha bagagem, gente com quem convivi nesses anos todos, para fazer a composição. Escutei sempre histórias de agentes manipuladores…” Comentamos que, na vida real, ela tem muitos colegas que não assumem que são gays e optam por uma vida de aparências. “Mas também quem disse que alguém é obrigado a sair do armário? Temos que respeitar as vontades individuais. Ninguém tem que abrir sua sexualidade. A peça serve para as pessoas pensarem… Cada um tem sua liberdade e não precisa se expor. Claro que os outros falam. Tem muita especulação, que às vezes não é verdade. Não se deve chafurdar na vida do outro. Eu mesma já paguei esse preço, com fofocas sem fundamento. Já sofri, processei quem falou e ganhei. Mas comigo chegou uma hora em que isso cessou. É preciso saber lidar, se calar em alguns momentos, estabelecer um limite.”

* Em tempo: o espetáculo fica até o fim de julho nesse teatro, e depois entra em turnê pelo país.

Você também pode gostar