Com três Oscars no currículo, Frances McDormand se iguala a Meryl Streep sem abrir mão de suas convicções e das críticas ao padrão hollywoodiano

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

Mais uma vez Frances McDormand levou um Oscar para casa. Ela faturou o prêmio de Melhor Atriz por sua atuação, maravilhosa por sinal, em ‘Nomadland’, que arrematou também as estatuetas de Melhor Direção e Melhor Filme.  Frances já têm três Oscars em sua coleção por ‘Três Anúncios para um Crime’ (de Martin McDonagh) e ‘Fargo’ (dos irmãos Joel e Ethan Coen). Com mais essa conquista ela empata com Meryl Streep como atriz viva com mais estatuetas da academia.

Discreta, Frances McDormand fala muito pouco de sua vida pessoal. A atriz de 63 anos foi adotada com apenas um ano de idade pela enfermeira Noreen e pelo pastor Vernon McDormand. Passou a infância e a adolescência se mudando constantemente por causa do pai, cuja atividade era recuperar igrejas falidas. Sua estreia no cinema aconteceu aos 28 anos no filme ‘Sangue por Sangue’, do marido, Joel Coen, e pelo cunhado, Ethan. Após este trabalho, a reunião familiar também aconteceu em outros seis filmes, mas foi ‘Fargo’ que lhe rendeu o seu primeiro Oscar e um SAG Award de Melhor Atriz. Ela e Coen estão juntos há mais de 36 anos, e têm um filho, Pedro, adotado pelo casal no Paraguai.

Recentemente, ela revelou ao The New York Times que, depois de ganhar o prêmio de Melhor Atriz da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas em 1997, contratou um assessor de imprensa e o instruiu a negar todos os pedidos de encontros com jornalistas: “Fiz um esforço muito consciente para não aparecer na imprensa e fazer publicidade por 10 anos, o que outras pessoas achariam muito perigoso na carreira de uma atriz. Valeu a pena exatamente pelas razões que eu queria […] Isso me trouxe de volta um mistério sobre quem eu era”, justificando a fama de reclusa.

Frances prefere aparecer em seus filmes e nas premiações, quando é indicada. Aí chama a atenção seu estilo despojado: a artista dispensa maquiagem, cabelo e looks espalhafatosos, reforçando que não se preocupa em se encaixar nos padrões hollywoodianos. Em 2019, ela cruzou o red carpet do Oscar usando uma Birkenstock com vestido Valentino, que também parecia bem confortável.

Ela também deixou bem claro que não é a favor de procedimentos que disfarçam as rugas. “Eu não me mudei de forma alguma”, disse. “Joel e eu temos muito essa conversa. Ele literalmente tem que me impedir de dizer algo às pessoas – aos amigos que fizeram alguma intervenção estética.” Mais tarde, Frances comentou que os aprimoramentos estéticos eram um risco ocupacional em sua profissão. “Estou interessada em iniciar a conversa sobre envelhecer com elegância e como, em vez de torná-lo um problema cultural, o tornamos um problema individual. Acho que o preconceito de idade é uma doença cultural, não é uma doença pessoal”.

Essa postura radical de McDormand pode até soar antipático para muita gente, mas a atriz é do tipo sincerona, sem papas na língua, e é isso que faz dela uma figura tão especial. Glamurama ama!

Você também pode gostar
Solidão Pandemia

Depois da tempestade

O restaurante que eu frequentava antes da pandemia reabriu. Esteve fechado por meses, e eu o tinha como…