Beatriz Milhazes, Abilio Diniz, João Emanuel Carneiro e mais. Onde?

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
João Emanuel Carneiro, Nara Roesler, Abilio Diniz, Van Van Seiler e Paulo Henrique Cardoso mais Beatriz Milhazes: inauguração

Por Michelle Licory

Nara Roesler, galerista de São Paulo, parou Ipanema essa quinta-feira com a inauguração de sua “filial” no Rio, na rua Redentor. A calçada em frente ficou completamente lotada. Por lá, tomando cerveja long neck na garrafa ou suco funcional de vários sabores, a nata das artes plásticas: Carlito Carvalhosa, Ernesto Neto, Carlos Vergara, José Bechara, Maria Klabin, Tunga, Vanda Klabin… e Beatriz Milhazes: “Acho superbacana que a Nara tenha vindo pra cá também. E curioso. Rio e São Paulo são cidades tão próximas, com facilidade de se comunicarem. São Paulo tem bem mais relevância nessa área, sem dúvida, mas o Rio se fortaleceu, está mais seguro. E tem essa relação com férias. Turistas estrangeiros – e brasileiros mesmo – muitas vezes não vão para São Paulo, só para o Rio. Pode ser um bom mercado. Tudo é uma aposta, uma tentativa. Tomara que dê certo.”

Impulso

Abilio Diniz contava que veio à cidade só para prestigiar a amiga Nara. Andrea Dellal, Lenny Niemeyer, Lilibeth Monteiro de Carvalho… A sociedade carioca baixou em peso por lá. Estava tão cheio, mas tão cheio que Paulo Henrique Cardoso, ao achar um cantinho, confessou: “Vou ficar refugiado aqui.”  Para Van Van Seiler, mulher dele, curadora e consultora de arte, o endereço no Rio vai “abrir novos horizontes” para a galeria. “A cidade tem importantes colecionadores, mas que não estão acostumados a comprar aqui, e sim em feiras internacionais. São Paulo pode ser mais forte como mercado, mas o fomento da arte está no Rio e os artistas ficam felizes de saber que as galerias que os representam também estão aqui.” Até João Emanuel Carneiro circulava pelos corredores e opinava: “Colecionador age por impulso.” Ele entende do assunto. Para quem não sabe, é filho de uma crítica de arte [Lélia Coelho Frota] com um artista plástico [Arthur José Carneiro Silva]. E… “Sou afilhado de Milton Dacosta e Maria Leontina. Dos contemporâneos, gosto do Carlito, da Milhazes. É complicado citar só um ou outro.”

Vik Muniz, Adriana Varejão, Daniel Filho e Carol Jabor: “after”

Educando o olhar

* Com a palavra, Nara: “O Rio é uma cidade culturalmente muito importante. Nos anos 80, isso ficou abafado. E agora os cariocas estão recuperando isso. Viemos apanhar. A gente não está pensando em poder financeiro, e sim em trazer pra cá o que tem de melhor na arte contemporânea brasileira e mundial. Temos o projeto do Roelser Hotel, em que damos espaço para artistas que nem são representados por nós. Sobre essa discrepância entre Rio e São Paulo, é uma questão de educar o olhar das pessoas, algo que sempre nos preocupamos. Tanto que temos cursos de formação de novos colecionadores.” Claro que Nara não ia dar ponto sem nó. E ainda é sortuda. “Assim que decidimos vir para o Rio, achei esse imóvel [uma casa de dois andares quase na esquina da Aníbal de Mendonça, um ponto excelente e bastante valorizado]. Foi bem fácil.”

* Em tempo: depois do agito, ainda teve comemoração na casa de Vik Muniz, na Gávea, como Glamurama adiantou. Quem se juntou ao grupo nessa segunda etapa? Adriana Varejão, Carol Jabor, Daniel Filho… Faz tempo que um evento não concentra tanta gente bacana!

 

Você também pode gostar